Por tamyres.matos

Rio - O Tribunal de Justiça no Rio enviou uma nota na qual lamenta as mortes do menino Kayo da Silva Costa e do 3º sargento da Polícia Militar Alexandre Rodrigues de Oliveira, ocorridas na quinta-feira durante invasão de criminosos ao Fórum de Bangu. No entanto, o TJ nega que tenham ocorrido falhas no esquema de segurança do local.

Scooby Doo seria responsável por tentativa de resgate em fórumDivulgação

"Houve uma invasão de criminosos fortemente armados, fato que foge à rotina das milhares de audiências ocorridas diariamente em todas as Comarcas do estado. Cabe à Secretaria de Estado de Administração Penitenciária do Rio de Janeiro (Seap) avaliar e comunicar às Comarcas em que serão realizadas audiências criminais sobre a periculosidade dos réus e depoentes que são arrolados para depoimento. No caso da última quinta-feira, a operação de segurança foi montada de acordo com os informes passados pela Seap".

Sobre a possibilidade do uso de videoconferência na audiência de quinta, o TJ afirma que ainda não há estrutura para adotar este sistema em presídios do Estado do Rio.

"O Judiciário fluminense utiliza, desde 2009, o sistema eletrônico audiovisual de depoimentos (interrogatórios por videoconferência), sobretudo nos casos de depoentes custodiados em presídios federais fora do estado. Essas videoconferências são organizadas e operacionalizadas pelo Departamento Penitenciário Nacional (Depen), do Ministério da Justiça, e as casas de custódia são responsáveis por conceder e manter o aparato tecnológico necessário para a realização desse tipo de audiência. Ainda se espera a infraestrutura necessária para a utilização das videoconferências nos presídios estaduais."

Flagrante do tiro fatal

Imagens de uma câmera de segurança mostra o momento exato em que o pequeno Kayo é alvejado na cabeça por um tiro de fuzil em frente ao Fórum de Bangu, na Zona Oeste, na noite desta quinta-feira.

No vídeo é possível ver que minutos antes de a criança ser atingida, uma viatura da polícia passa pelo local e em seguida um ônibus também passa perto da vítima. Logo depois, avó e neto caem no chão. A mulher ainda consegue se levantar e, desesperada, vai para cima da criança. Mas, menino já está morto por conta do disparo que acertou sua cabeça. Um corre-corre também é visto nas imagens, obtidas com exclusividade pelo SBT Rio.

O tiroteio ocorria a cerca de 200 metros do Fórum de Bangu, onde estavam os criminosos de alta periculosidade prestando depoimento.

Você pode gostar