Justin Bieber é autuado por pichar muro na Zona Sul

Caso será encaminhado ao Jecrim

Por O Dia

Rio - A rebeldia do astro pop Justin Bieber, de 19 anos, na passagem dele pelo Brasil ainda pode render dor de cabeça ao cantor. Ele foi autuado nesta quarta-feira por pichação (o grafite feito no muro do antigo Hotel Nacional, em São Conrado). O canadense poderá ter que se apresentar à Justiça brasileira para responder pelo crime de “pichação a monumento urbano”..

Horas antes de deixar o país rumo ao Paraguai, onde tinha show marcado, dois integrantes da equipe de Bieber — um brasileiro, inclusive — prestaram depoimento na 15ª DP (Gávea). O artigo 65 da Lei 9.605 prevê detenção de três meses a um ano e multa. Mas caberá a juiz do Juizado Especial Criminal (Jecrim) definir qual punição será dada ao ídolo ‘teen’.

Justin Bieber grafita muros de São Conrado sem autorização Delson Silva e Gabriel Reis / Ag. News

O cantor tinha autorização da prefeitura para grafitar em dois pontos onde a arte é realizada: os muros da Vila Olímpica do Vidigal e do Parque de Madureira. No entanto, segundo seguranças do cantor, ele desistiu do primeiro porque havia fãs e fotógrafos à sua espera. Já no segundo, Bieber teria ido, mas resolveu ir embora porque ‘não gostou do local’. Ainda de acordo com depoimentos de segurança, Bieber teria decidido grafitar o muro do Hotel Nacional porque, além de ter a tal autorização, viu que no local havia grafites.

“A autorização era para um local específico e não pode se estender para a cidade inteira. Essas celebridades devem saber que o Brasil tem leis, que devem ser cumpridas”, afirmou o delegado Antônio Ricardo. No rastro de Justin Bieber, ainda houve quebra-quebra no quarto do Copacabana Palace, que calculou prejuízo de R$ 12 mil, e visita a prostíbulo de luxo. Além disso, cenas de desrespeito a fotógrafos — com gestos obscenos —, atrasos e um show inacabado (em São Paulo), também vão ficar na memória da passagem do pop star pelo país.

PMs observaram pichaçãoAg.News

PMs serão investigados

A confusão causada pelo cantor em São Conrado sobrou até para policiais militares. Uma viatura da Unidade de Polícia Pacificadora da Rocinha foi flagrada a poucos metros de Biber enquanto ele fazia grafite no muro do abandonado Hotel Nacional. De acordo com policiais da UPP, quando eles chegaram ao local, já havia outra equipe, do 23º BPM (Leblon), atendendo a ocorrência.

Os soldados da UPP alegaram que foram embora e deixaram o caso a cargo do 23º BPM, já que o local é área de patrulhamento do batalhão. O comandante do 23º BPM (Leblon) abriu sindicância para averiguar se os policiais do batalhão estavam mesmo no local e o motivo de não terem agido. Sobre a agressão aos fotógrafos e a destruição no hotel, a Polícia Civil informou que, até a noite de ontem, ninguém havia registrado queixa nas delegacias contra o cantor.

Desabafo

Após deixar rastros de confusão durante sua passagem pelo Brasil, o cantor Justin Bieber fez um desabafo na rede social Instagram nesta quarta. O astro teen canadense postou uma foto com a seguinte pergunta: "Do you know me?". - Na tradução para o português: "Você me conhece?" - E justificou na legenda que está transtornado por conta da pressão do showbiz. Justin também afirmou que teria que mudar algumas atitudes, mas que nunca esqueceria de sua essência.

Justin desabafa no Instagram após rastro de confusão no BrasilReprodução Internet

"Eu sou louco, sim é o que o jogo fez comigo. Eu talvez precise substituir essas caretas e talvez precise me afastar das pessoas que não me deixam ser eu mesmo, mas eu sempre vou lembrar quem eu sou", desabafou.

Pichação e tumulto na madrugada

Na madrugada desta segunda para terça-feira, o astro adolescente acabou tratando mal um grupo de fãs enquanto pichava o muro do Hotel Nacional. Os admiradores do cantor o seguiram desde a casa em que ele se hospedou até o local. Esses fãs chegaram a ajoelhar e implorar para serem atendidos pelo ídolo. Segundo Norton Barboza, que estava no grupo, depois de uma primeira abordagem, os seguranças resolveram "partir para a ignorância".

"Depois que os reencontramos, os seguranças vieram até o nosso carro e tentaram tirar a chave da ignição. Como eles não conseguiram, voltaram com uma faca e furaram o pneu do carro", relatou o adolescente no Facebook. Ainda segundo Barboza, Justin Bieber saiu do carro e disse ao grupo que estava muito decepcionado. "Ele disse que éramos os piores fãs do mundo, que tinha uma vida. Mas a gente ficou o dia todo esperando para falar com ele. Não temos R$ 3 mil para pagar e estar com ele!" , reclamou o garoto.

Seguranças protegeram o astro teen durante pichação em São ConradoAg. News

Pouco depois, os seguranças de Justin Bieber atacaram dois fotógrafos que estavam registrando o momento em que ele pichava o muro. De acordo com os fotógrafos, tudo aconteceu entre 3h e 7h da manhã desta terça-feira. Até uma equipe da polícia da UPP da Rocinha foi chamada para dar suporte aos profissionais. Depois das agressões, os seguranças negociaram com eles para que eles não prestassem queixa.

"A gente pediu que ele ao menos atendesse as fãs que estavam implorando e ele o fez", explicou o fotógrafo. Na parede, Bieber deixou escrito "respect privacy" (respeitem a privacidade, em português) em alusão ao que aconteceu.

De lá de São Conrado, Bieber seguiu até a praia da Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio, onde foi se exercitar. Logo em seguida, bebeu uma latinha de refrigerante e mostrou o dedo médio para os fotógrafos. Gabriel Reis, um dos paparazzi que fotografaram a pichação, contou que teve seu carro atingido por um paralelepípedo, que foi jogado por um dos seguranças do cantor, e foi ameaçado por eles.

Passagem do astro canadense foi conturbadoAg News

“Ele quer guerra, então vai ter. Estou preocupado ainda, porque sei que eles (os seguranças) podem vir na covardia de novo. Bateram muito no outro fotógrafo que estava lá. O enforcaram com um cinto e ele teve o braço muito machucado. O Justin estava muito alterado. Ele não pode ser uma pessoa normal. Primeiro, ele me xingou, me provocou me chamando pra briga. Depois de cinco minutos, veio conversar comigo numa boa, como se nada tivesse acontecido. Ainda me perguntou se eu gostei dos desenhos que ele fez”, indignou-se.

Reis também contou que depois das agressões, os seguranças negociaram com os fotógrafos para que eles não prestassem queixa. "A gente pediu que ele ao menos atendesse as fãs que estavam implorando e ele o fez", explicou o fotógrafo. Na parede, Bieber deixou escrito "respect privacy" (respeitem a privacidade, em português) em alusão ao que aconteceu.

Últimas de Rio De Janeiro