Secretário acompanha operação na Zona Portuária um dia após ser agredido

Alex Costa foi surpreendido durante operação para fechar terreno que vinha sendo usado como estacionamento irregular, sem alvará

Por O Dia

Rio - A Secretaria de Ordem Pública realiza operação na manhã desta quarta-feira para remover estacionamentos irregulares na Rua Sacadura Cabral, na Zona Portuária. Na tarde desta terça, o secretário Alex Costa foi agredido por um homem durante operação para fechar terreno que vinha sendo usado para atividade comercial irregular, sem alvará.

"Trabalhar pela ordem pública inclui não baixar a cabeça em um momento como esse. Muito mais grave que a agressão física é o ato de repúdio contra o exercício da legalidade e a violência contra a autoridade pública e a Prefeitura do Rio", disse o secretário, que a acompanha a ação desta quarta.

Secretário de Ordem Pública foi agredido durante entrevista coletivaAlessandro Costa / Agência O Dia

Inconformado com a interdição, Eduardo Fauzi (que se dizia procurador do ocupante do terreno) surpreendeu a todos, dando um tapa na cabeça do secretário, durante entrevista coletiva. Costa teve alta após ser atendido no Hospital Souza Aguiar e passa bem. O secretário disse que fez registro na delegacia e que está tomando as medidas jurídicas contra o agressor, a quem definiu como "um imbecil completo".

Eduardo foi preso em flagrante por lesão corporal e conduzido à 4ª DP (Praça da República). Ele já colecionava antecedentes criminais por crime contra a ordem econômica, lesão corporal, formação de quadrilha, desobediência, calúnia e difamação. A perícia realizada no terreno revelou também roubo de água e energia elétrica.

O clima era tenso no local desde cedo. Pela manhã, o reforço de homens do 5º BPM (Saúde) foi solicitado por agentes da Seop e guardas municipais. Ocupantes do terreno teriam se apresentado como policiais militares e dito que não permitiriam a operação. Quando o reboque da prefeitura chegou ao terreno para retirar os carros estacionados, Fauzi e seu advogado Fábio Grana tentaram realizar um bloqueio humano, e foram retirados à força.

“O terreno era utilizado por integrantes da Associação de Guardadores da Rua São Miguel, um grupo que loteia vagas de estacionamento pela cidade e fatura alto. Fauzi já havia sido removido anteriormente de outros estacionamentos. O terreno será usado agora para fins públicos, dentro do projeto Porto Maravilha”, garantiu o secretário momentos antes de ser golpeado.

Depois de prestar depoimento e realizar exame de corpo de delito, no IML, ele disse não se lembrar da agressão. “Não lembro do momento exato. Vi tudo escurecer na minha frente, mas já estou bem”. Um outro estacionamento, no nº 241 da Avenida Rodrigues Alves, também foi lacrado nesta terça.

Últimas de Rio De Janeiro