Tiroteio deixa dois mil sem aula em Campo Grande

Escolas fecharam devido à guera entre traficantes e milicianos

Por O Dia

Rio - A guerra entre traficantes e milicianos na Favela da Carobinha, em Campo Grande, deixou mais 2,2 mil alunos sem aulas nesta quarta-feira. De acordo com a Secretaria Municipal de Educação, cinco escolas municipais não tiveram aulas. O episódio lembra a violência enfrentada por alunos e professores no Complexo da Maré, denunciada com exclusividade pelo DIA no fim de outubro.

Segundo informações do 40ºBPM (Campo Grande), um homem, suspeito de envolvimento com o tráfico de drogas, morreu nos confrontos de ontem. A polícia não divulgou a identidade da vítima.
Uma invasão de traficantes, na madrugada de terça-feira, teria iniciado os confrontos. O bando estaria sob o comando de Paulo Cesar Martins, o PC da Carobinha, foragido do sistema penal.

Ele teria se aliado a bandidos da Favela da Coreia, em Senador Camará, para tomar a Carobinha do controle da milícia. Segundo moradores, o intenso tiroteio durou mais de meia hora e os milicianos fugiram logo em seguida. No Complexo da Maré, mais de 2 mil alunos ficaram sem aulas por pelo menos dois dias, no fim da greve dos professores da rede municipal, devido à violência.

A ONG Redes da Maré divulgou foto de alunos deitados no chão da sala de aula para se proteger dos tiroteio perto da escola. A unidade é especial para o ensino de crianças que apresentam algum tipo de deficiência no aprendizado em decorrência de traumas relacionados à criminalidade na comunidade.

Últimas de Rio De Janeiro