Por nara.boechat

Rio - Uma sala de aula na Escola Municipal Vidal de Negreiros, em São Pedro da Aldeia, virou palco do espancamento de uma aluna do 5º ano do Ensino Fundamental, de 14 anos. A agressora era uma estudante do 7º ano, de 16 anos. Ela arrastou a colega pelo cabelo, a jogou no chão e deu golpes com uma cadeira e uma mesa, enquanto um terceiro adolescente filmava toda a agressão. A direção do colégio fez registro de ocorrência na 125ª DP (São Pedro da Aldeia), porque os pais das menores não quiseram levar o caso para a polícia.

O episódio ocorreu na terça-feira. No momento do espancamento, a estudante do 5º ano deveria estar na sala de vídeo com a turma, mas ela pediu ao professor para sair. Já a outra adolescente aproveitou o horário de troca de disciplina para ir ao encontro marcado para a briga. Segundo a diretora de Educação, da Secretaria de Educação de São Pedro da Aldeia, Vanessa Castañol, um colega da garota de 16 anos filmou toda a pancadaria. Antes da confusão começar, a jovem do 7º ano pergunta para o menino: “Tá gravando?”. Ao ouvir a resposta: “Tô”. Ela diz: “Então, já é!”.

A sala de aula, que estava vazia, então é fechada, e o que as imagens mostram é chocante: uma adolescente em completo estado de fúria. O motivo, segundo colegas, seria uma disputa por namorado. A diretora de Educação afirmou que as meninas já tiveram problemas no colégio. "Mas é o primeiro caso de agressão física que tivemos na escola. Os pais delas já foram notificados, mas eles não quiseram registrar ocorrência na delegacia", contou Vanessa, que afirmou ainda, que a jovem agredida não tinha lesões aparentes.

As duas alunas foram suspensas por três dias. O Conselho Tutelar, que vai fazer o acompanhamento psicológico das famílias e das adolescentes, foi chamado pela escola para uma reunião, na manhã de ontem. A direção do colégio disse que abriu um procedimento para apurar o que de fato aconteceu naquele dia.

Direção apura se ataque foi premeditado

Apesar da confusão, a estudante de 16 anos não será expulsa do colégio. A criança e o adolescente têm por lei direito garantido ao ensino e gratuito e público. A diretora de Educação, Vanessa Castanõl, disse que não sabe dizer se a agressão foi premeditado. “Daqui a alguns dias, teremos as respostas certas. Ainda estamos apurando o que realmente aconteceu”. O vídeo com a pancadaria virou uma espécie de viral e está circulando entre os alunos da escola de São Pedro da Aldeia.

Você pode gostar