Por tamyres.matos

Rio - A Secretaria Estadual de Proteção de Defesa do Consumidor (Seprocon) realizou nesta quarta-feira, por meio do Procon-RJ, a quarta etapa da Operação Tio Patinhas, que fiscaliza bancos e verifica o atendimento aos clientes. Desta vez, os fiscais estiveram em agências bancárias da Barra da Tijuca, Recreio dos Bandeirantes, Centro, Ramos, Vicente de Carvalho, Taquara, Tijuca, Coelho Neto e Madureira. Das 12 agência vistoriadas, oito apresentaram irregularidades, foram autuadas e serão multadas.

O caso mais grave identificado pelos fiscais foi a agência do Banco Itaú, em Ramos, com seis irregularidades. O tempo de atendimento aos clientes chegava a 40 minutos, quando o aceitável pela lei é 15 minutos - informação que devia constar num cartaz fixado em local visível, mas que a agência não possuía. Um outro cartaz no qual deveria conter a escala dos caixas da agência também não estava fixado em lugar algum, e o sistema de senhas, com prioridade para idosos e pessoas especiais, apesar de existir, não estava sendo utilizado. Para completar, os banheiros e o bebedouro são mal sinalizados.

Em três agências fiscalizadas na Avenida das Américas - Bradesco, HSBC e Itaú -, os fiscais verificaram cinco irregularidades em cada uma delas. Contudo, o principal problema foi detectado no banco Itaú, onde não existe distribuição de senhas para atendimento e somente os clientes preferenciais do Itaú Uniclass tinham direito de utilizar os banheiros e bebedouro.

Sete das oito agências autuadas não tinham o mínimo de 15 cadeiras reservadas para idosos, gestantes e pessoas com necessidades especiais. Em duas delas, não havia sistema de senhas para facilitar o atendimento prioritário.

Os agentes do Procon-RJ fiscalizaram na operação se as agências seguem as normas estabelecidas na Lei Municipal 5.254/11, que determina as obrigações dos bancos nos serviços prestados a seus clientes na cidade do Rio. Não foram encontradas irregularidades nas agências Bradesco, de Vila Isabel; HSBC, de Vicente de Carvalho; HSBC, de Madureira; e Banco do Brasil, da Rua da Assembleia, no Centro.

Balanço da Operação Tio Patinhas:

1 - Itaú (Rua Euclides Farias/Ramos): Tempo de espera de 40 minutos, não tem senha para o atendimento prioritário, má sinalização para os banheiros e bebedouro, ausência da escala dos caixas e do cartaz que informa o tempo máximo de 15 minutos de espera. Apesar de ter o sistema de senhas para atendimento regular, a agência não o utiliza;

2 - Bradesco (Av. das Américas/Recreio): Tempo de espera de 40 minutos, falta cadeira de rodas, assento preferencial não identificado, ausência dos cartazes que informa o tempo máximo de espera nas filas e a escala de trabalho de caixas e funcionários;

3 - HSBC (Av. das Américas/Barra da Tijuca): Apenas 5 assentos preferenciais, tempo de espera de 25 minutos, ausência da escala dos caixas e do cartaz que informa o tempo máximo de 15 minutos de espera;

4 - Itaú (Av. das Américas/Barra da Tijuca): Apenas 4 assentos preferenciais, não utiliza senha para atendimento no caixa, banheiro e bebedouro apenas para clientes Uniclass e ausência de cartazes;

5 - Santander (Mercadão de Jacarepaguá/Taquara): Tempo de espera de 35 minutos e falta banheiros para os clientes;

6 - Itaú (Rua Conde de Bonfim/Tijuca): Não possui o cartaz que informa o tempo máximo de espera e não atende a obrigatoriedade dos 15 assentos preferenciais;

7 - HSBC (Ceasa/Coelho Neto): Não tem os 15 assentos para uso preferencial;

8 - Banco do Brasil (Rua 7 de Setembro/Centro): Não possui os 15 assentos preferenciais previstos por lei.

Você pode gostar