Por tamyres.matos

Rio - Relatório de inteligência da Polícia Civil sobre a investigação sobre invasão de bandidos no fórum de Bangu aponta que Jean Carlos Nascimento, o De Menor, teria recebido a ordem para executar o juiz Alexandre Abraão, da 1ª Vara Criminal, dentro da sala de audiência, há mais de uma semana. Na ação, um PM e menino de apenas oito anos foram mortos. De Menor tem 13 mandados de prisão pendentes, um deles expedido pela vara criminal de Abraão.

O Disque-Denúncia (2253-1177) oferece recompensa de R$ 1 mil por informações que levem à prisão do criminoso. Tratado como perigoso, De Menor tem 19 passagens pela polícia, sendo quatro por homicídio. As investigações mostram que ele comandou a ação com os traficantes Leandro Nunes Botelho, o Scooby, Gerland Barbosa, o Gegê, e Genilson Pereira. Ao todo 15 criminosos foram mobilizados da facção Amigo dos Amigos (ADA).

Um dos 46 novos furgões para transportar presos do sistema penitenciário para os fóruns%3A mais segurançaDivulgação

VILA VINTÉM

O plano de invasão ao fórum começou a ser arquitetado no Morro do 18, em Água Santa, com bandidos das favelas da Pedreira, do Gogó da Ema, da Gacha e da Quitanda. Depois, o grupo decidiu se concentrar na Vila Vintém. Lá foi decidido ainda que seriam resgatados Alexandre Bandeira de Melo, o Piolho, e Vanderlan Ramos da Silva, o Chocolate. Eles foram convocados a prestar depoimento após serem chamados pela advogada Adriana Godoy dos Santos Prado, para serem testemunhas num processo de tráfico de drogas na Vila Vintém, mas foram dispensados pela defesa.

O juiz da Vara de Execuções Penais, Carlos Augusto Borges, negou o pedido da Secretaria de Segurança de transferir Celsinho da Vila Vintém, preso em Bangu, no Complexo de Gericinó, para uma unidade federal. Ele estaria por trás da ação. Ainda estão sendo analisados os pedidos de transferência de Chocolate e Piolho.

A invasão ao Fórum de Bangu revelou a fragilidade em comarcas com presos de alta periculosidade como o DIA mostrou domingo. A falta de detectores de metais e a presença de presos circulando entre testemunhas foram algumas das falhas detectadas. Questionado sobre quais medidas serão adotadas, o Tribunal de Justiça não respondeu.

Mais transporte para levar presos

A Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) recebeu sábado seis dos 46 furgões comprados para transporte de detentos. Os veículos chegaram dez dias depois de a Seap ser criticada pela presidente do Tribunal de Justiça, desembargadora Leila Mariano, pela falta de estrutura para levar presos até os fóruns.

Cada furgão transporta 23 pessoas: um deles foi usado ontem para levar presos até o tribunal, no Centro. No entanto, em alguns fóruns, embora sejam construções novas, não há acesso para veículos grandes, e os presos são obrigados a desembarcar pela calçada.
Segundo Leila Mariano, as audiências começam com atraso porque a Seap não apresenta os presos nos horários marcados e os deixam nos fóruns até de madrugada devido à falta de viaturas.

A Seap virou alvo de críticas do tribunal após a invasão ao Fórum de Bangu, no último dia 31, quando criminosos tentaram resgatar dois presos e matar o juiz da 1ª Vara Criminal, Alexandre Abrahão. Além dos furgões duas vans foram compradas pela Seap que tem até dia 15 de dezembro para receber todos os veículos.

Você pode gostar