Seap terá que disponibilizar cinco salas de Gericinó para videoconferência

Medida vai evitar que presos saiam das cadeias para ir até fóruns

Por O Dia

Rio - A Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) terá que disponibilizar, em seis meses, cinco salas no Complexo Penitenciário de Gericinó para videoconferência. E caberá ao Tribunal de Justiça (TJ) equipá-las. Esse foi um dos acordos fechados nesta quarta-feira na reunião da presidente do TJ, desembargadora Leila Mariano, com representantes da Seap, do Ministério Público, da Defensoria Pública e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

A medida vai evitar que presos saiam das cadeias para ir até os fóruns. Segundo a Seap, 400 detentos deixam as unidades prisionais todos os dias no estado para irem até as comarcas. A videoconferência voltou a ser discutida após a invasão ao Fórum de Bangu no último dia 31. Criminosos armados pretendiam resgatar dois presos, que iriam depor, e matar o juiz da 1ª Vara Criminal de Bangu, Alexandre Abrahão, além de promotores, como O DIA noticiou nesta quarta. Na ação, morreram um menino de 8 anos e um PM.

No dia 31%2C criminosos armados tentaram invadir o Fórum de Bangu Alexandre Vieira / Agência O Dia

A Seap, no entanto, não informou em que unidades ficarão as novas salas, assim como o TJ também não disse a partir de quando elas começarão a ser equipadas. Os locais para videoconferência deverão ser interligados ao fóruns e presídios do estado. E, antes das audiências, deverá ser permitido ao preso ser entrevistado pelo defensor público. Hoje, para que isso aconteça, ele tem que ir até o fórum.

No TJ, já há duas salas para videoconferência que são usadas com presos federais. Elas também deverão ser interligadas às novas. Ficou decidido ainda que as audiências deverão ser marcadas com, no mínimo, uma semana de antecedência, e que a Seap deverá apresentar os presos nos horários marcados.

Últimas de Rio De Janeiro