Denúncia de resgate faz fórum reforçar a segurança

Um dos alvos da invasão em Bangu depõe em São João de Meriti sob forte aparato

Por O Dia

Rio - A denúncia de uma nova tentativa de resgate a Vanderlan Ramos da Silva, o Chocolate, no Fórum de São João de Meriti ontem fez a Polícia Militar aumentar ainda mais a segurança do local. O reforço já havia sido pedido, semana passada, pelo juiz da 1ª Vara Criminal da cidade, Leonardo Rodrigues da Silva, devido à presença do criminoso no local. Um dos alvos da invasão ao Fórum de Bangu no último dia 31 — quando uma criança de 8 anos e um PM morreram —, Chocolate foi depor em um processo que responde por roubo e corrupção de menores.

Policiais do 21º BPM (São João de Meriti) fecharam as ruas no entorno do fórum e até atiradores de elite foram posicionados no alto do edifício. Os PMs que fazem a segurança dentro da unidade chegaram duas horas mais cedo, e agentes do Serviço de Operações Especiais (SOE) da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) permaneceram no local. O esquema foi mantido até 15h30, quando Chocolate deixou a unidade.

Atiradores de elite se posicionaram no alto do Fórum de São João de Meriti%3A lições de invasão feita em BanguSeverino Silva / Agência O Dia

Apesar da segurança, o clima entre os funcionários do fórum ontem era tenso. A informação sobre o resgate do bandido chegou a vários órgãos da segurança pública terça-feira através do Disque-Denúncia (2253-1177). O documento diz que cerca de 40 homens, entre eles menores, da favela Gogó da Ema, em Belford Roxo, dos morros do Amor, no Lins, e do Carrapato, em Meriti, iriam se passar por policiais federais e estariam caracterizando uma viatura para tentar resgatar Chocolate. Tudo sob o comando de Jean Carlos Nascimento, o De Menor, um dos bandidos que invadiram o fórum de Bangu.

Chocolate chegou a Meriti às 13h. Por medida de segurança, foi o primeiro dos sete presos a ser ouvido e deixou o local antes dos outros bandidos. A prática não é comum, já que a Seap só retorna com os detentos aos presídios após o fim de todas as audiências.

“Não sei como não resgatam presos todos os dias. Esse esquema de transporte de detentos é um absurdo”, criticou a diretora do Fórum de Meriti, juíza Claudia Motta. Encaixotados há um ano na porta do fórum, o detector de metais do prédio será instalado segunda-feira. A unidade ganhará uma sala para videoconferência.

Últimas de Rio De Janeiro