Por thiago.antunes
Rio - Passados 20 anos desde os primeiros projetos despoluição da Baía de Guanabara, o governo do estado anunciou um passo importante para cumprir a meta de deixar ela 80% mais limpa até 2016. Foi testada ontem a Unidade de Tratamento do Rio Irajá que, em um mês, vai tratar 12% da carga de poluição hídrica lançada na Baía.
Somada à UTR de Pavuna-Meriti — prevista para setembro de 2014 — um terço de toda a sujeira despejada nas águas da Guanabara será tratada, segundo a Secretaria do Ambiente. “A principal fonte de poluição da Baía de Guanabara é o esgoto doméstico. Em sete anos, passamos de 12% a 40% o saneamento básico do entorno e chegaremos a 50% no ano que vem”, disse o secretário estadual Carlos Minc. Ele admite que ainda existem centenas de comunidades sem saneamento básico às margens da Baía.
A Unidade de Tratamento do Rio Irajá passou por teste nesta quintaDivulgação

Mas, para o ambientalista Edison Bidone, autor de estudo feito para para o BID em 2010, a tarefa do estado será árdua “A Baía é tão suja que contaminou os sedimentos do fundo. Levará décadas para ela ser considerada limpa”, afirma.

Publicidade