Por thiago.antunes

Rio - Preso por um erro no banco de dados da Polícia Civil, Alessandro Francelino dos Santos permanece na Cadeia Pública Juíza Patrícia Lourival Acioli, em São Gonçalo, apesar de a Justiça ter mandado soltá-lo no dia 27. No despacho, a juíza da 29ª Vara Criminal, Maria Tereza Donatti,mandou que ele fosse solto duas horas após a decisão, sob pena de ser instaurado procedimento administrativo e criminal contra quem não cumprisse a ordem.

Como O DIA mostrou dia 18, nos dados de Alessandro na polícia, a foto era do irmão dele, o traficante Ivanildo Francelino dos Santos, o Pitoco, morto em 2010. Apesar disso, ele foi preso e identificado como Pitoco. Alessandro foi capturado dia 13 durante operação da Delegacia de Combate às Drogas (Dcod) na Maré. Ele não teria antecedentes criminais.

A polícia justificou a captura alegando que cumpriu mandado de prisão. É que Pitoco usava o nome do irmão, por isso constava o nome dele na polícia. Segundo a Justiça, foi provado que Alessandro não cometeu crime. Semana passada, a Polícia Civil informou que não havia erro nos dados de Alessandro, mas quinta-feira admitiu a troca das fotos e afirmou ter corrigido o problema.

Você pode gostar