Por thiago.antunes
Rio - Pai de onze filhos, o fotógrafo Marco Gracie Imperial passa por um sufoco que deve atrapalhar a vida de muita gente. Há um ano e três meses ele luta para registrar seu caçula que, como outros sete irmãos, nasceu em casa.
Das outras vezes, Imperial não teve dificuldades para encaminhar os registros: ia a um posto de saúde com duas testemunhas e saía com uma DNV (Declaração de Nascido Vivo). O problema é que Carlson nasceu em meio a uma pressão do Conselho de Medicina contra partos em casa, com isso, os postos pararam de entregar a DNV.
Publicidade
Na Justiça
Lei assinada por Dilma Rousseff diz que cabe aos cartórios, a pedido das secretarias de saúde, emitir a DNV em partos sem assistência médica. Imperial foi a um cartório — e nada. Em março, recorreu à Justiça; o caso está na 1ª Vara de Família de Campo Grande.
Publicidade
Avôs ilustres
No fim das contas, neste país em que há tantas crianças sem pais, o pequeno Carlson — neto do ator e compositor Carlos Imperial e bisneto de Carlos Gracie, pioneiro do jiu-jitsu — continua sem ter sua certidão de nascimento.
Publicidade
Publicidade