Por thiago.antunes
Rio - Por orientação do Papa Francisco, o Vaticano vai ajudar financeiramente a Arquidiciocese do Rio a quitar as dívidas contraídas com a Jornada Mundial da Juventude. O débito, que chegou a ser de aproximadamente R$ 90 milhões, atualmente é de R$ 43,2 milhões. O comitê organizador da JMJ não informou a quantia que será enviada de Roma.
A Igreja Católica também negou que a instituição tenha recebido dinheiro público, conforme foi noticiado durante a semana, e que o apoio foi apenas para assegurar o funcionamento dos serviços públicos durante o evento, realizado em julho deste ano na cidade.
Publicidade
Segundo a Arquidiocese do Rio, os contratos ainda em aberto estão sendo renegociados e serão quitados em breve. A Igreja está realizando ações para conseguir saldar os débitos do evento. Um imóvel em São Cristóvão, que pertencia à Casa do Pobre de Nossa Senhora de Copacabana e era alugado ao Hospital Quinta D’or, foi vendido ao próprio hospital.
A venda foi feita no valor de R$ 46 milhões, a título de empréstimo. O dinheiro será devolvido à Casa do Pobre, assim que a Arquidiocese conseguir a quantia por meios próprios. Ainda de acordo com a Arquidiocese do Rio, fiéis estão fazendo campanhas de doações e já arrecadaram R$ 536 mil, que já foram repassados à Igreja.
Publicidade
Produtos da JMJ serão lançados para ajudar na quitação da dívida. São três DVD’s, sendo um documentário e um CD duplo, com músicas da Via Sacra e da Vigília, que aconteceu na Praia de Copacabana no dia 27 de julho.