Por thiago.antunes

Rio - Os cariocas já começaram a pagar mais pela gasolina. Neste sábado, no primeiro dia após o anúncio de reajuste da Petrobras, alguns postos da cidade nem esperaram pela chegada de novos estoques para aumentar os preços. A gasolina comum de R$ 2,99, em média, passou a R$ 3,29, um aumento de 9%, bem acima dos 4% nas refinarias da estatal.

Para o engenheiro Felipe Marques, 24 anos, o aumento é difícil de ser aceito, já que, há poucos anos, o Brasil se declarou autossuficiente na produção de combustível. Segundo recordou, nos últimos quatro anos, o valor gasto para abastecer o tanque de sua moto dobrou. “Eu pagava R$ 15 pelo tanque há quatro anos. Agora com o reajuste meu custo vai ser de R$ 30. Esse anúncio em plena Black Friday foi uma brincadeira”, analisou o engenheiro.

Felipe Marques abastece sua moto%3A gastos dobraram em quatro anosJosé Pedro Monteiro / Agência O Dia

Quem também ficou decepcionado foi o empresário Dante Nascimento, 59, que utiliza o carro diariamente para trabalhar. Para ele, o consumidor irá pagar por investimentos feitos em áreas que não eram essenciais. Dante considera que o aumento pode ser o início de uma bola de neve que fará a inflação aumentar. “Esse aumento da gasolina vai jogar a inflação para cima e os preços de outros produtos básicos vão subir também”, contou.

Neste sábado também entrou em vigor o novo valor do óleo diesel, que teve reajuste de 8%. Na bomba terá aumento médio de R$ 0,16 por litro, e custará R$ 2,29. Segundo a Petrobras, o ajuste foi feito porque a estatal precisava equilibrar o caixa que estava defasado por conta da oscilação do dólar e do custo de derivados do petróleo importados.

Você pode gostar