Padre Omar: Não ao cultivo da tristeza!

Se a gente olhar ao redor, vai notar como tem gente que confunde, na prática, a vivência dos verbos ser e estar, já percebeu?

Por O Dia

Rio - Se a gente olhar ao redor, vai notar como tem gente que confunde, na prática, a vivência dos verbos ser e estar, já percebeu? Um cara que é médico e está diretor de hospital, por exemplo, ao invés de expressar as coisas assim, diz que é diretor do hospital. Ora, a verdade é que ele está ocupando essa função, que, normalmente, é temporária e não perpétua. Ou seja, o verbo "estar" diz de uma circunstância. Já o verbo "ser" fala do que é perene.

Se alguém concluiu a graduação em medicina é médico. Isso está consolidado e não vai ser alterado. O sujeito pode até deixar de atuar na sua área de formação, mas ele vai continuar a ser médico. Ter a clareza da diferença que existe entre "ser" e "estar" tem um grande peso para a reflexão desta semana, ao meditarmos sobre as nossas verdades à luz deste trecho da Oração de São Francisco: "Onde houver tristeza que eu leve alegria"

Levar alegria aos que estão próximos a nós é infinitamente mais fácil do que espantar a tristeza do nosso próprio coração, não é mesmo?... Recordo de uma música antiga: "Não pode ser triste um coração que ama Cristo. Não pode ser triste um coração que ama Deus. Por isso eu canto, canto aleluia. Não pode ser triste um coração que ama Deus". Se você ama o Senhor, o seu coração não pode ser triste! Porque a sua fé te move a ir adiante, a confiar, a se superar e a vencer todas as dificuldades.

Mas não sejamos falsos, ok? Todo mundo tem o direito de estar triste, porque a vida tem situações que são difíceis, desconcertantes. E fingir que algo não está doendo ou incomodando muito acaba sendo hipocrisia. Eu e você somos humanos e limitados: temos o direito de sentir dor, de sofrer, de chorar em paz, sem a preocupação - que já percebi em uns e outros por aí - de "ter que dar um testemunho de fortaleza". As pessoas têm seus ciclos, diante das coisas que experimentam, e camuflar a dor sob pretexto de testemunho da fé é um absurdo sem tamanho! A gente tem que viver tudo, e aí, sim, tomar fôlego e seguir com a vida.

O que você não pode permitir é o cultivo da tristeza. Isso, não! Você não pode ser triste. Veja o que diz a Bíblia: "Não entregues tua alma à tristeza, não atormentes a ti mesmo em teus pensamentos.(...) pois a tristeza matou a muitos, e não há nela utilidade alguma."(Eclesiástico 30, 22.25) E ainda: "A tristeza apressa a morte, tira o vigor, e o desgosto do coração faz inclinar a cabeça.(...) Não entregues teu coração à tristeza, mas afasta-a e lembra-te do teu fim.(Eclesiástico 38, 19.21)

A certeza de que Deus cuida de nós, de que o seu amor nos consola, conduz e orienta faz toda a diferença. Encha o seu coração dessas certezas quando a tristeza quiser se instalar. Se preciso, se dê prazos para ficar triste e, depois disso, levante da cama, tome um bom banho, coloque sua melhor roupa e parta para a vida novamente! Meu coração é terreno para plantio de coisas boas e não de coisa ruim. Eu digo não ao cultivo da tristeza! E você, topa esse desafio? "Tamu" junto!

Padre Omar é o Reitor do Santuário do Cristo Redentor do Corcovado. Faça perguntas ao Padre Omar pelo e-mail padreomar@padreomar.com. Acesse também www.padreomar.com e www.facebook.com/padreomarraposo

Últimas de Rio De Janeiro