Por marlos.mendes

Rio - A meta de Rafael Cortez está traçada. Aos 37 anos, ele bem que poderia trocar seu nome para trabalho. Afinal, o artista, que apresentou a versão brasileira de ‘Got Talent’, só pensa em emendar um projeto atrás do outro até os 40, abrindo mão inclusive da vida pessoal e amorosa. Na disputa por uma vaga como apresentador na programação de fim de semana da Record em 2014, Rafael não desperdiça oportunidades e se arrisca como Quintino, protagonista em ‘A Nova Família Trapo’, especial de fim de ano que reinventa a série de humor ‘Família Trapo’, um clássico da TV nos anos 60, e vai ao ar hoje, às 23h15, celebrando o aniversário de 60 anos da emissora.

Rafael Cortez é protagonista do especial 'A Nova Família Trapo'%2C da RecordPatricia Stavis

“Foi uma surpresa quando recebi o convite da direção da Record para fazer o especial. Topei na hora, porque soube que não teria nada a ver com o programa tradicional. Não existe outro Ronald Golias, ninguém quer ser igual a ele, porque ele não tem substituto”, diz o ator, referindo-se ao inesquecível humorista, que vivia o divertido Bronco na antiga série.

O especial é mais um atalho para Rafael atingir seus objetivos. Quando deixou o ‘CQC’, da Band, em dezembro de 2012, ele já tinha em mente o que desejava. “Quero ser apresentador da Record, mas estou aberto para tudo. Não sou bobo, não quero invalidar projetos”, justifica. No momento, ele está no meio de uma concorrência para apresentar um programa, provavelmente aos sábados, na vaga deixada por Rodrigo Faro. “Estou no páreo. Já fiz um piloto no formato do ‘Vai Dar Namoro’, foi um teste para ver como me saía com plateia”, revela.
Publicidade
Por conta do foco na carreira, a vida afetiva ficou em segundo plano. Solteiro, Rafael é enfático: “Minha vida é só trabalho. Não tem namorada, mulher nem filho. Acho que isso pode prejudicar o meu projeto de teatro, o meu show. Mas não tenho medo de arregaçar as mangas. Até os 40 anos, só quero trabalhar. Depois, penso em casar, ter filhos, comprar uma casa no campo... Realizar os planos que faria com 20 anos. Sempre tive vontade de estar na TV, ter projeção, mas não ser famoso; ter o sucesso como consequência. Vou dar um gás para conseguir isso. Conheço gente que fez assim e hoje é bem feliz.”
No comando da versão brasileira do ‘Got Talent’, ele viu o programa receber muitas críticas e amargar baixa audiência. Quando o show de talentos acabou, em junho, saiu de cena até ser convidado para gravar ‘A Nova Família Trapo’ no início de novembro. “Não acho que o programa não tenha dado certo. Foi bom e deu certo para mim. Como fiquei fora do ar por um tempo, disseram que eu estava na geladeira. Mas não parei de trabalhar para a Record, apresentando projetos. É o bullying do humor, mas não ligo pra isso”, garante ele.
Publicidade
Você pode gostar