Por thiago.antunes

Rio - A pedido da CPI da Exploração Sexual, o desembargador Paulo Rangel, do Tribunal de Justiça do Rio, aumentou a pena de Fernando Marinho de Melo de quatro para sete anos de cadeia, por furto e pelo sequestro de Larissa Gonçalves Dias, 11 anos. Larissa foi sequestrada em 2008 de dentro de sua casa, na Barreira do Vasco, em São Cristóvão.

O acusado teria se apresentado como um técnico de TV. Segundo testemunhas, ele carregou a menina com a TV e a colocou em um táxi. Fernando também foi reconhecido como o sequestrador de Thaís de Lima Barros, sequestrada na Vila Kennedy, em 2002, quando tinha 9 anos, e como o sequestrador de outras meninas. O condenado presta serviços para a Marinha.

Relatora da CPI, a deputada federal Liliam Sá (Pros-RJ) pediu para a Polícia Federal expedir um mandado de condução coercitiva para que Fernando Marinho deponha amanhã, quarta-feira, na CPI, em Brasília, às 14h30, conforme estava agendado, já que sua defesa disse que ele não iria.

Você pode gostar