Por thiago.antunes

Rio - Por determinação do governador Sérgio Cabral, a Secretaria de Estado inicia, no dia 1º de janeiro de 2014, a “Operação Lapa Presente”, que terá o objetivo fortalecer a segurança e o direito de ir e vir dos moradores e frequentadores da Lapa. Baseada no modelo da Operação Lei Seca, a ação na Lapa terá caráter permanente, com equipes nas ruas todos os sete dias da semana, sem data para terminar. Sob a supervisão do governo, contará com profissionais cedidos pela PM, Secretaria Especial de Ordem Pública (SEOP), Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, Guarda Municipal e Comlurb.

De forma coordenada e integrada, os agentes farão rondas em bicicletas, a pé e em veículos para promover a ordem no bairro e coibir ações criminosas. Outro aspecto da operação será o acolhimento de moradores de rua. O lançamento da "Operação Lapa Presente" é resultado de reunião feita na manhã desta sexta-feira no Palácio Guanabara.

Operação para fortalecer segurança na Lapa vai começar no primeiro dia de 2014Shana Reis / Divulgação

Participaram da reunião: o Governador Sérgio Cabral, o Secretário de Estado de Segurança, José Mariano Beltrame, o Secretário de Estado de Governo, Wilson Carlos, o Chefe do Estado-Maior Geral Operacional da PM, Coronel Paulo Henrique Azevedo, o subchefe de Polícia Civil, Sérgio Caldas, a Secretária Estadual de Cultura, Adriana Rattes, o Vice-Prefeito e Secretário de Desenvolvimento Social do município do RJ, Adílson Pires, o Secretário Especial de Ordem Pública Alex Costa, além de moradores e comerciantes da Lapa.

Uma nova reunião operacional acontecerá na próxima semana para estabelecer novos detalhes antes do início da operação.

Dono de bar é morto ao reagir a tentativa de assalto

No mesmo dia em que a Polícia Militar começa o reforço na segurança da Lapa, um homem foi morto em uma tentativa de assalto na Rua do Riachuelo, no coração do bairro boêmio. Por volta das 1h30 desta sexta-feira, um carro preto parou no Boteco do Gerson e homens armados anunciaram o assalto. O dono do estabelecimento, Gerson Vaz, 60 anos, reagiu ao assalto e tentou puxar uma das armas dos criminosos. Um dos bandidos percebeu e disparou cinco tiros contra a vítima, que chegou a ser levada para o Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro, mas não resistiu aos ferimentos.

Bar amanheceu com aviso de lutoFelipe Freire / Agência O Dia

Em seguida, o grupo fugiu no mesmo veículo sem levar nada. O filho de Gerson estava no caixa do estabelecimento no momento da ação. O bar possui câmeras de TV, bem como os estabelecimentos vizinhos. No entanto, o equipamento do restaurante ao lado do local do crime não registrou o momento dos disparos. As imagens do Boteco do Gerson ainda não foram analisadas. O caso foi registrado na 5ª DP (Mem de Sá) como latrocínio (roubo seguido de morte).

Polícia Civil já pediu prisão de suspeito de matar jovem

A Polícia Civil já pediu a prisão do suspeito de assassinar o ex-aluno do Colégio Pedro II, Conrado Chaves da Paz, de 19 anos, morto na Lapa. O crime, no domingo, chocou a população e chamou a atenção para a violência crescente no bairro, lotado de moradores de rua e viciados em crack que roubam e furtam pedestres e turistas. A Divisão de Homicídios (DH) identificou o acusado, que moraria nas ruas da região e teria aproximadamente 30 anos. A identidade do suspeito não foi divulgada para não atrapalhar o fim das investigações.

Foram designados 180 PMs para garantir a segurança na Lapa e Saara%2C a partir desta sexta-feiraOsvaldo Praddo / Agência O Dia

Os agentes devem encerrar o inquérito no início da próxima semana. Conrado comemorava seu novo emprego e aniversário de um amigo. Ele foi atacado por um grupo de usuários de crack no fim da madrugada, na Avenida República do Chile. Marcas no corpo indicavam que ele foi esfaqueado no coração. Segundo peritos, o jovem foi morto com faca serrilhada, tipo a usada para cortar pão, com lâmina de aproximadamente 12 centímetros.

Conrado Chavez da Paz%2C 19 anos%2C foi morto a facadas na Avenida ChileReprodução Internet

As investigações concluíram que o crime foi um latrocínio (roubo seguido de morte) e que o motivo principal pode ter sido o celular do rapaz, que desapareceu. Conrado ainda carregava no bolso sua identidade, R$ 50 e cartão de crédito, que não foram levados. Ele estava sozinho e voltaria para casa, em Realengo, de ônibus.

A polícia ouviu diversas testemunhas e conseguiu imagens de câmeras próximas, o que ajudou na elucidação do crime e identificação do assassino. Até esta quinta-feira, os policiais ainda aguardavam que a Justiça analisasse o pedido de prisão do acusado pelo crime.

A atriz Ilva Niño, que há seis anos tem um teatro na Lapa, disse que a casa vai fechar as portas no dia 14. O motivo: a onda de violência e ataques de usuários de crack ao público. “Está um horror e as pessoas estão com medo de ir ao teatro. Os usuários ficam deitados no chão, pedem dinheiro, seguram as pessoas. Todos os comerciantes da região estão sofrendo porque a Lapa virou um local perigoso”, desabafou Ilva.

Você pode gostar