Por thiago.antunes

Rio - Uma enxurrada de comentários ofensivos e machistas tomou nesta quinta-feira a página do ‘Toplessaço’ — evento agendado para o dia 21, em Ipanema, em defesa da prática —, no Facebook. Perfis masculinos, alguns falsos, publicaram frases xingando as organizadoras de “vagabundas e prostitutas”, além de fotos de pênis e de mulheres agredidas, e viraram alvo da Polícia Civil.

O delegado Gilson Perdigão, da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática, disse que os comentários serão analisados e “havendo incitação à violência, os responsáveis irão responder pelos crimes”. Na página, que tinha quase 5 mil adesões até ontem, era possível ver publicações como a foto de uma mulher agredida, com a frase “uma vez minha mulher esqueceu de lavar minha cueca da sorte, uma vez”.

Topless coletivo tomará as areias de Ipanema%2C num protesto acalorado com a bandeira da 'naturalização dos corpos'Fotos%3A José Pedro Monteiro / Agência O Dia

Criadora do protesto, a produtora Ana Rios, 23 anos, disse que a repercussão só reforça a necessidade do ato. “Comprova que o mundo ainda é machista. Vamos agir como se eles não existissem”. Apesar disso, Ana acionou a Comissão de Direitos Humanos da OAB-RJ para acompanhar o evento.

O vereador Elton Babú (PT) apresentou nesta quinta, na Câmara Municipal do Rio, um projeto de lei que autoriza a prática nas praias da cidade, e estima que o texto será votado em março. “A proibição é inconcebível em um país que se diz democrático”, argumentou.

>>>GALERIA: 'Toplessaço' vai marcar a abertura do verão

Você pode gostar