Por thiago.antunes

Rio - A Comissão de Segurança Pública e Assuntos de Polícia da Alerj convidou cinco instrutores do Cfap (Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças da PM) para audiência nesta terça-feira. Os oficiais serão ouvidos sobre as circunstâncias que levaram à morte do recruta Paulo Aparecido Santos de Lima, de 27 anos. Paulo morreu no dia 22 de novembro, depois de ficar hospitalizado por dez dias ao passar mal durante uma sessão de treinamento no Cfap.

Paulo Aparecido sofreu insolação, queimaduras graves e perda dos rins, após ser obrigado a ficar sentado no asfalto quente, em um dia que chegou a registrar temperatura de 42 graus. Outros 33 recrutas deram entrada na enfermaria do Cfap no mesmo dia.

Membros da Comissão de Direitos Humanos da Alerj visitaram o Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (Cfap)Estefan Radovicz / Agência O Dia

Os cinco instrutores faltaram à última audiência pública da Comissão de Segurança Pública, no dia 28, e não enviaram justificativa. Todos foram transferidos de unidade após a internação de Paulo Aparecido. O capitão Renato Martins Leal da Silva está lotado agora no Batalhão de Policiamento em Areas Turísticas (BPTur). Já os tenentes Sérgio Batista Viana Filho, Jean Carlos Silveira de Souza, Gerson Ribeiro Castelo Branco e Paulo Honésimo Cardoso da Silva foram transferidos, respectivamente para o Batalhão de Choque (BPChq), o 38º BPM (Três Rios), o 41º BPM (Irajá) e Coordenadoria de Inteligência.


Você pode gostar