Por cadu.bruno
Publicado 09/12/2013 16:36 | Atualizado 10/12/2013 00:15

Rio - Pelo menos três cidades da Baixada ainda contam os prejuízos do temporal que castigou o estado na noite da última quinta-feira, deixando quatro mortos. Duas prefeituras da região decretaram nesta segunda estado de emergência. Os prefeitos de Nova Iguaçu, Nelson Bornier, e de Japeri, Ivaldo Barbosa, o Timor, tomaram a medida durante reuniões com secretários municipais. Os decretos serão publicados hoje em Diário Oficial. Queimados já tinha decretado situação de emergência (quando não há calamidade pública), na sexta-feira.

Em Nova Iguaçu, onde uma mulher morreu soterrada, há 25 famílias desabrigadas. Em Japeri, duas famílias perderam casa e mais de 100 ficaram desalojadas, enquanto Queimados contabiliza 74 desabrigados e 1.151 desalojados.Segundo a prefeitura, foram feitas 52 interdições de áreas de risco e 2.400 famílias já receberam donativos e cerca de 9 toneladas de alimentos. Nova Iguaçu e Japeri estão recolhendo donativos para as famílias, como água potável, lençóis, agasalhos, medicamentos e materiais de limpeza.

Temporal arrastou carros no Centro de Nova IguaçuLeitora Lynda Sampaio

Aluguel social

Em Nova Iguaçu, os desabrigados terão aumento de 70% no valor do aluguel-social, pago pela prefeitura. O repasse passará de R$ 265 para R$ 450. Por enquanto, não há previsão da data do reajuste. Uma comissão da Secretaria de Assistência Social verifica a inscrição de 500 famílias atingidas no programa federal Minha Casa, Minha Vida. Os desabrigados estão alojados, provisoriamente, na sede da Defesa Civil.

Cerca de 200 funcionários da prefeitura fizeram um mutirão de limpeza em pelo menos 26 regiões atingidas pela enxurrada. Moradores de 15 comunidades atingidas começaram a receber vacinas contra o tétano, ontem. No bairro de Austin, onde houve deslizamento de morros, a prefeitura condenou 23 casas. “A situação é grave. Estamos preocupados com a vida das pessoas. As casas abaladas podem desabar sobre a cabeça delas e morrer gente”, disse a secretária de Obras, Carla Neves. A Defesa Civil recebeu mais de 100 chamadas de moradores até ontem, somente de Austins e Comendador Soares.

Previsão de temporal hoje no estado

A previsão para o estado hoje é de temporais no fim da tarde. “A possibilidade de chuva como a de quinta passada é muito grande na capital”, disse o meteorologista Marcelo Pinheiro, do Climatempo. A chuva deve permanecer forte até sexta-feira.

Defesa Civil, Cet-Rio, Comlurb e Light estarão de prontidão em esquema especial para minimizar problemas que podem ocorrer na cidade. Pedro Junqueira, chefe executivo do Centro de Operações Rio, reforça a necessidade de ação conjunta dos órgãos. “A Defesa Civil estará mobilizada nas áreas de risco e a Comlurb pede para que as pessoas não coloquem o lixo para fora se a chuva ameaçar cair”, informou Junqueira.

Colaborou Herculano Barreto Filho

Você pode gostar