Por thiago.antunes

Rio - O prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, anunciou nesta segunda-feira, em visita à redação do DIA, um novo projeto para ajudar a desafogar o trânsito em Niterói, uma das principais demandas dos moradores: a substituição de todo o sistema semafórico da cidade, que deverá melhorar em até 30% a fluidez dos veículos em todo o município.

“Niterói tem 270 sistemas de sinais da década de 1970 que param de funcionar em caso de chuva e queda de luz. Está completamente obsoleto. Além de um novo sistema, vamos implementar um Centro de Controle Operacional (CCR) com 150 câmeras de monitoramento, em todos os cruzamentos da cidade”, explicou o prefeito.

O projeto será financiado pelo BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) num valor total de R$ 25 milhões e que permitirá o controle dos sinais de trânsito à distância, via computador.

Segundo Rodrigo Neves%2C sistema atual está obsoleto e não funcionaAndré Luiz Mello / Agência O Dia

Sistema inteligente

“É um sistema inteligente, diferente do atual, que parou no tempo”, comparou o prefeito, que espera entregar o novo sistema no primeiro semestre de 2014. Neves garantiu que o projeto da Linha 3 do Metrô, que está sendo tocado pelo governo federal em parceria com o estadual, na semana que vem dará mais um passo. A Linha 3 ligará os municípios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí.

“Terei uma reunião com o estado para discutir o detalhamento e a concepção final do projeto, importantíssimo e que deverá ser licitado no início do ano que vem. O mais importante é que os recursos já foram assegurados no PAC da Mobilidade”, comemorou Rodrigo.

Transoceânica sai em 2016

Um dos mais importantes projetos relacionados à mobilidade urbana em Niterói, a Transoceânica, que ligará o Engenho do Mato a Charitas, incluindo o túnel do Cafubá, tem previsão de conclusão no primeiro semestre de 2016. Segundo o prefeito Rodrigo Neves, o morador da Região Oceânica de Niterói poderá chegar ao Centro do Rio em apenas 45 minutos e desafogará o tráfego na cidade. Atualmente, o percurso é feito em até duas horas e meia.

“Conseguimos há 15 dias R$ 315 milhões com o governo federal. Foi o primeiro contrato assinado do PAC da Mobilidade. As obras começam no primeiro semestre do ano que vem e vão durar 18 meses”, garantiu Rodrigo Neves.

Você pode gostar