Por thiago.antunes
Publicado 10/12/2013 00:43 | Atualizado 10/12/2013 02:35

Rio - Em visita ao Rio, o ex-presidente dos EUA Bill Clinton elogiou o Bolsa Família e a Bolsa Escola como alternativas bem-sucedidas de políticas públicas para diminuir a desigualdade social no país. Clinton, que está na cidade para promover o encontro ‘América Latina’, da Fundação Iniciativa Global Clinton, também citou as manifestações que começaram em junho. Disse que não as entendeu muito bem: “Por que temos manifestações se as coisas parecem estar melhorando?”

Clinton afirmou que, ao contrário do que ocorreu nos protestos da Síria, “onde o governo decidiu reagir atirando nas pessoas, prendendo”, no Brasil, a opção foi pelo diálogo: “Pensem na diferença da reação. (...) A resposta da sua presidenta (Dilma Rousseff) foi dizer que sim, vocês levantaram questões importantes: ainda há muita desigualdade, precisamos justificar os investimentos, combater a corrupção”.

A presidenta Dilma Rousseff discursa em evento promovido pela fundação do ex-presidente do EUA Bill Clinton%3A integração sem liderançaCarlo Wrede / Agência O Dia

Manifestantes

Enquanto Clinton abria o evento, que ocorre pela primeira vez na América Latina, um pequeno grupo de manifestantes se aglomerou em frente ao Copacabana Palace, local do encontro que termina nesta terça-feira. Não houve registro de confrontos, mas a policiamento foi reforçado.

A presidenta Dilma Rousseff foi a convidada de honra do dia. Diante de uma plateia lotada de empresários brasileiros e americanos, ela afirmou que no projeto de integração de desenvolvimento que o Brasil acredita “não há espaço para relações hegemônicas”. “A verdadeira integração dispensa liderança, pois exige solidariedade”, afirmou Dilma. Durante quase todo seu discurso, que tinha como um dos ouvintes o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, a presidenta exaltou a criação de emprego e o controle da inflação nos últimos dez anos.

“Por muitos e muitos anos o Brasil foi pensado como um país pequeno, voltado apenas para os países desenvolvidos do planeta. Dedicado apenas a uma parcela privilegiada de sua população, o Brasil não foi pensado para todos”, comentou Dilma.

Nova tarifa de ônibus sai ainda este mês

O prefeito Eduardo Paes confirmou, após o encontro com Clinton, que o novo preço da passagem de ônibus vai ser divulgado este mês. Ele não quis adiantar o valor, mas técnicos do setor acreditam que não será inferior a R$ 0,20.

“A gente tem um modelo matemático, uma equação, que leva em consideração uma série de índices públicos, do IBGE, da Fundação Getúlio Vargas... A partir daí é que se calcula a tarifa a ser executada. A gente vai fazer as contas e divulgar nos próximos 15 ou 20 dias”, afirmou Paes, em conversa com jornalistas, antes de participar do evento.

Você pode gostar