Por thiago.antunes
Rio - Pelo menos 400 pessoas protestam, na noite desta sexta-feira, contra o aumento da tarifa dos ônibus, no Centro do Rio. O grupo se concentrou na Candelária e seguiu em direção à Cinelândia, com faixas e cartazes que pediam por 'tarifa zero' e 'contra o aumento'. Os ativistas caminharam pela Avenida Rio Branco, que ficou interditada, gritando palavras de ordem.
O aumento na tarifa dos ônibus foi anunciado pelo prefeito Eduardo Paes para o começo de janeiro. Toda a manifestação foi acompanhada de perto por mais de uma centena de policiais militares e não houve confrontos. Para convocar a população, organizadores divulgaram que o preço da passagem deveria passar para R$ 3,05. Com palavras de ordem contra o governador Sérgio Cabral e o prefeito Eduardo Paes, os integrantes do movimento gritavam que “se a passagem aumentar, o Rio vai parar”.
Manifestantes realizaram ato em frente à Assembleia Legislativa e atearam fogo a um caixote de madeiraErnesto Carriço / Agência O Dia

O trânsito já complicado para o período de festas ficou ainda pior, com reflexos em todo o Centro. Por volta das 20h30, um grupo ateou fogo a um caixote de madeira no meio da rua, em frente à Alerj. Alguns manifestantes estavam mascarados, o que contraria a nova lei.

Após o ato, grande parte dos ativistas se dispersou e cerca de 200 pessoas seguiram rumo à Presidente Vargas. Por v olta das 21h, as duas pistas do sentido Zona Norte da via foram fechadas. Na altura da Central, os manifestantes interditaram o sentido Centro. Até as 22h, grupo protestava em frente à prefeitura, na Cidade Nova.

Publicidade