Paes: 'Agora é o TCM que vai dizer se aumenta ou não a passagem'

Prefeito aguarda relatório que pode ser entregue ainda nesta semana

Por O Dia

Rio - A decisão sobre o aumento das passagens de ônibus do Rio de Janeiro está nas mãos do Tribunal de Contas do Município (TCM), disse ontem o prefeito Eduardo Paes, ao entregar 520 imóveis do Programa Minha Casa, Minha Vida, em Triagem. Ele afirmou que vai esperar a auditoria sobre o serviço de ônibus da cidade — por uma Comissão Especial — para autorizar ou não o reajuste. 

Na quinta-feira, o Informe do DIA revelou que conselheiros recomendaram que Paes não aumente a passagem. “O TCM não recomenda e sim determina. Vou aguardar o fim da auditoria deles. Agora, é o TCM que vai dizer se aumenta ou não a passagem”, disse Paes.

Paes participou da entrega de casas em Triagem%2C neste domingoFabio Gonçalves / Agência O Dia

O prefeito afirmou que o prazo para a auditoria já se esgotou e que vai cobrar que termine logo. Na sexta-feira, o órgão pediu cerca de um mês para encerrar a apuração, alegando como O DIA mostrou, “irregularidades e obscurantismo” no serviço. Então, se Paes cumprir a promessa, a passagem não sobre até o fim de janeiro.

No começo deste mês, o prefeito admitiu que o reajuste será feito no ano que vem. Quando perguntado se o carioca pagará mais caro pelo ônibus no primeiro dia de 2014, Paes colocou a responsabilidade para o TCM. “Só se eles (TCM) terminarem o relatório nesta semana, o que acho difícil”. Ele fez questão de frisar que cumprirá o que for determinado — nem a queda do tarifa, que é de R$ 2,75, foi descartada. “Se o resultado da auditoria for que a gente tem que reduzir a passagem, a ordem será cumprida”, garantiu Eduardo Paes.

Casa nova para 1.500

Pelo menos 1.500 pessoas foram beneficiadas com a entrega de 520 imóveis no Bairro Carioca, em Triagem. Receberam as chaves famílias que ocuparão os apartamentos dos blocos 9, 10 e 14.
O prefeito lembrou que os beneficiados estão saindo de áreas de risco para morar ali. “Temos que parar com essa vergonha, que é saber que famílias serão soterradas a cada chuva”, disse.


Reportagem: Leandro Resende 

Edição: Júlia Amin 


Últimas de Rio De Janeiro