Por thiago.antunes

Rio - Estudante de Economia da Universidade de Yale, nos Estados Unidos, Paulo Costa, de 22 anos, é autor de um programa de educação financeira que passará a ser oferecido de forma regular, como matéria eletiva (não obrigatória), nos 28 ginásios cariocas da prefeitura. No primeiro semestre de 2013, o método foi testado em 17 dessas escolas: os alunos apresentaram melhora significativa em matemática.

'Ensinamos alunos a poupar dinheiro'%2C diz Paulo CostaDivulgação

— Que resultados foram mais relevantes?

— O conhecimento deles sobre inflação aumentou 133%. Isto, num período de apenas quatro meses de ensino. O fundamental para entender a inflação é a porcentagem, item em que houve melhora de 60%. Entre os que não fizeram a matéria, a melhora foi bem menor, de 3%.

— Esse conhecimento é aplicado no dia a dia?

— Uma pesquisa sobre comportamento financeiro dos alunos mostrou que, entre os que fizeram o curso, 16% começaram a poupar dinheiro. Eles não faziam isso antes.

— Como você encara essa mudança?

— Esse aumento no nível de poupança é extraordinário. Além disso, os alunos começaram a fazer orçamentos para os seus gastos cotidianos e já conversam com seus pais sobre finanças familiares.

 

Você pode gostar