Por adriano.araujo

Rio - Uma menina de 11 anos, identificada como Maria Eduarda, morreu após ser baleada, na manhã desta segunda-feira, em um tiroteio na Favela Para Pedro, em Colégio, na Zona Norte. De acordo com a PM, três policiais trocaram tiros com traficantes na localidade conhecida como Santinho quando a menina foi baleada. Um adulto e outra criança, um menino de 7 anos, também foram baleados.

Policiais observam ônibus incendiadoFernando Souza / Agência O Dia

As armas dos PMs estão à disposição do delegado da 27ª DP para perícia. O comando do 41º BPM (Irajá) vai abrir um inquérito para apurar as responsabilidades. Em protesto, cerca de 200 moradores colocaram fogo em caixotes e fecharam a Avenida Martin Luther King Jr., em frente à estação de metrô do bairro. Um ônibus também foi incendiado. Policiais dispersaram os manifestantes com bombas de gás e balas de borracha.

>>> GALERIA: Moradores ateam fogo em ônibus após morte de menina

Maria Eduarda%2C de 11 anos%2C morreu após ser baleada em um tiroteio na Favela Para PedroReprodução Internet

Maria Eduarda foi levada por familiares para uma unidade hospitalar da região, mas não resistiu ao ferimento. Ainda não há informações sobre de onde teria partido o tiro que atingiu a vítima.

O menino e o adulto foram baleados sem gravidade, de acordo com a PM. Viaturas permanecem realizando o policiamento na região e o clima é de hostilidade.

O policiamento na região está reforçado desde o último dia 14. De acordo com a P2 do 41º BPM (Irajá), a região vem sendo disputada por facções rivais. Viaturas foram deslocadas para o local. Informações dão conta que traficantes de uma facção rival vindos dos morros do Jorge Turco, em Rocha Miranda e do Chapadão, em Costa Barros, tentariam invadir o Para Pedro.

Confronto recorrente

Na última quinta-feira, dois homens foram mortos a tiros em confronto com policiais do 41º BPM Favela Para Pedro. Segundo os PMs, com eles foram apreendidos um fuzil AR-15, um carregador, uma pistola calibre 45 e cargas de cerca de 100 sacolés de maconha, cocaína e crack.

Avenida Pastor Martin Luther King Jr. foi fechada após morte de criança na Favela Para PedroDivulgação


Você pode gostar