Por adriano.araujo

Rio - Agentes da 16ª DP (Barra da Tijuca) prenderam na manhã desta segunda-feira durante uma operação no Rio e em São Gonçalo, na Região Metropolitana, e em Campos, no Norte Fluminense, dois homens que pertencem a quadrilha de estelionatários. Cinco mandados de prisão foram expedidos e três permanecem foragidos. O grupo falsificava documentos públicos e praticava o crime em estabelecimentos comerciais nos municípios do Rio, São Gonçalo, Campos, além de atuarem nos estados de São Paulo e Espírito Santo.

Estelionatários foram presos em São Gonçalo e Niterói%2C na Região MetropolitanaFabio Gonçalves / Agência O Dia

Entre os presos está Marcus Antonio da Silva Conceição, que é apontado com o chefe da quadrilha, e Natanael Nascimento Bittencourt. Marcus foi preso no Morro do Salgueiro, em São Gonçalo, enquanto Natanael no Centro de Niterói. Seguem foragidos Daiane Cardoso de Souza, Alex Sandro Amaral de Souza e Luiz Ricardo Magno do Nascimento, que é cunhado do Marcus. Todos têm passagem pela polícia.

De acordo com o delegado-adjunto Alexandre Magalhães, o grupo tinha acesso a todos os dados das vítimas, como local de nascimento e onde moravam, por exemplo. Com todas as informações da pessoa lesada, eles falsificavam os documentos, cartões e usavam um 'boneco', como chamam o estelionatário que ia nos estabelecimentos para fazer empréstimos e realizar compras no nome da vítima, principalmente celulares.

Alex Sandro de Souza e Luis Magno estão foragidosDivulgação

Pelo menos dez pessoas foram vítimas da quadrilha e, segundo investigações, cada golpe rendia cerca de R$ 2 mil.

As investigações começaram a partir de uma moradora da Barra da Tijuca que denunciou o golpe na delegacia. Os criminosos fizeram compras com os dados da vítima no Via Parque, que fica no mesmo bairro. A polícia acredita que a quadrilha aplica os golpes próximo à residência da pessoa lesada para não levantar suspeitas.

Corregedoria do Detran investiga vazamento de dados

A polícia investiga o possível vazamento de informações de órgãos pública para a quadrilha de estelionatários. De acordo com Magalhães, foi solicitada a Corregedoria do Detran informações sobre a possível participação de funcionários no esquema. 

?Reportagem: Leandro Resende

Você pode gostar