Por thiago.antunes

Rio - Cheia de graça, Maria leva seu bom-humor por onde passa, vestida de Mamãe Noel, ela cruza as ruas do Rio em seu táxi. Fantasiada, ela coloca um CD de canções natalinas e vai da Praça Seca, aonde mora com o filho, até a Zona Sul, aonde gosta de trabalhar. “Lá as corridas são mais lucrativas”, explica Maria das Graças Fernandes, de 65 anos, a famosa Graça Figuraça.
Essa carioca que já foi dançarina de Roberto Carlos, Elis Regina e Wilson Simonal usa e abusa do bom humor, mas jura não ganhar mais por isso.

“Olha que lindo o povo acenando, olha só”, ri, enquanto mostra a Rua Buenos Aires, na Saara, Centro, lotada. Alguns riem, estranham, se aproximam e tiram fotos, muitas fotos. Ela para o carro e posa. “Eu gosto de dar alegria pro povo. Comecei com isso na Copa de 2010 e vi que os passageiros gostaram, então, continuei.” Ela já se vestiu de coelha, Minie, criança e de mãe. “Coloquei um monte de bonecas das minhas netas no carro e prendi duas na blusa. Ah, também distribuo bala.”

Há 19 anos trabalhando como taxista%2C Graça diz ter passado maus bocados%2C mas não perdeu o bom humor para lidar com as pessoas nas ruasFernando Souza / Agência O Dia

Uma multidão começa a cercar o táxi, curiosa com a Figuraça. Ela garante ser sempre assim por onde passa. “Tem que ver no dia das crianças, pendurei pirulitos gigantes nas laterais. Elas corriam atrás de mim, achando que era de verdade, pode?”

Assaltada cinco vezes

Aílton Ursulino, que foi à Saara comprar itens para a ceia corre por quase 200 metros atrás do táxi todo ornamentado. “Eu andaria nele, achei o maior barato, é o espirito do Natal”, elogia. Disse que vai postar as fotos no Facebook e mostrar à família. Ele não é o único encantado com Graça.

“Fiquei tão feliz em vê-la assim, meu dia estava tão ruim. Ela veio com essa música linda e toda enfeitada, me alegrou muito”, disse Miraci Ferreira, que ainda pediu para a Mamãe Noel levá-la para casa. “Comecei a ser taxista por necessidade, há 19 anos e já passei por maus bocados, como cinco assaltos, mas acredito que preciso passar alegria por onde vou.” E ela consegue, olha uma criança e entoa: “Hohoho, feliz Natal.”

Você pode gostar