Por thiago.antunes

Rio - Durante a inauguração da primeira ponte estaiada da Barra da Tijuca, na manhã desta terça, o presidente da Rio Ônibus, Lélis Marcos Teixeira, pediu ao prefeito Eduardo Paes o aumento das passagens de ônibus. “Não temo protestos”, afirmou Lélis Teixeira, na entrevista coletiva da abertura da ponte que fará ligação sobre as lagoas de Jacarepaguá e da Tijuca, em trecho da Avenida Ayrton Senna próximo à Avenida Abelardo Bueno, referindo-se aos atos que pararam dezenas de cidades brasileiras no segundo semestre.

Paes participou da inauguração de ponte estaiada na Barra%2C nesta terça-feiraFernando Souza / Agência O Dia

Paes informou que o reajuste das passagens é contratual. Estava previsto subir de R$ 2,75 para R$ 3,05. “Mantenho a posição de aguardar o relatório do Tribunal de Contas do Município. Não quero que o Rio seja uma cidade que não cumpre contrato e não vou fazer populismo barato”, respondeu.
Segundo Teixeira, a saúde financeira das empresas depende do aumento. O presidente informou ainda que a Rio Ônibus não recebeu nenhuma solicitação do TCM.

“Essa auditoria é mais uma chance de mostrar que não existe caixa-preta, nem cartel”, argumentou Teixeira, lembrando que informações sobre a empresa estão disponíveis na internet. O trecho inaugurado nesta terça-feira, com cerca de 900m de extensão, é parte do BRT Transcarioca. O trânsito foi liberado logo após a inauguração.

A ponte leva o nome do cardeal Dom Eugênio Salles e recebeu a bênção do arcebispo do Rio, Dom Orani Tempesta. “A homenagem é um simbolismo. A tentativa de unir as pessoas, diminuindo as diferenças, como sempre quis Dom Eugênio", relembrou o arcebispo.

As obras da Transcarioca devem ser concluídas até 2016 e o BRT Transbrasil (Deodoro-Santos Dumont) será entregue depois das Olimpíadas, segundo Paes. “Haverá engarrafamentos ali. Tenho certeza que eu e minha mãe seremos homenageados”, brincou o prefeito.

Você pode gostar