Por adriano.araujo

Rio - Pouco mais de 24 horas após um confronto entre duas facções rivais pelo controle do tráfico de drogas na Favela do Muquiço, em Guadalupe, Zona Norte do Rio, a PM tenta localizar os responsáveis pelo episódio. Policiais militares do 9º BPM (Rocha Miranda), batalhão responsável pelo policiamento na área, ocuparam na tarde desta quinta-feira a favela da Palmeirinha, ao lado do Muquiço. A PM acredita que pode localizar na comunidade os traficantes que tentaram ocupar a favela vizinha.

"Sabemos que há facções rivais em confronto. Vamos fazer operações em áreas de domínio da facção que teria sido responsável por esse ataque", explicou o tenente-coronel Wagner Moretzsohn, comandante do 9º BPM.

Além da Favela da Palmeirinha, a PM também irá vasculhar outras áreas de domínio da mesma facção. Uma viatura do 9º BPM segue em prontidão na favela do Muquiço, para evitar novos confrontos. Ontem, policiais do batalhão foram à comunidade verificar a existência de cinco corpos de supostos criminosos vítimas da guerra do tráfico. Eles não foram encontrados.

O inimigo mora ao lado

A rivalidade entre traficantes das favelas do Muquiço e Palmeirinha não é novidade para a PM. Em maio deste ano, um homem foi brutalmente torturado por traficantes na Favela da Palmeirinha, que o confundiram com um integrante da facção que atua no Muquiço.

Douglas Scarani Matos, de 31 anos, foi espancado e ferido a golpes de britadeira nas pernas. Com a força do impacto, os membros teriam sido dilacerados quebrados, provocando fraturas expostas.

A disputa pelo controle do tráfico de drogas na área se iniciou em 2010, quando milicianos que atuavam na região foram presos.

Você pode gostar