Por bianca.lobianco

Rio - O trânsito do Centro deverá ficar ainda mais complicado em janeiro. O prefeito Eduardo Paes anunciou ontem que, no dia 25, serão fechados o Mergulhão da Praça 15 e o trecho da Perimetral da Praça Mauá ao Aeroporto Santos Dumont. A medida estudada é transformar a Avenida Rio Branco em mão dupla, só para ônibus e táxis. Às vésperas da mudança, no entanto, nem o prefeito soube dizer como ficará a principal artéria do centro financeiro da cidade.

Segundo Paes, se a alternativa for posta em prática, os táxis não poderão parar na Rio Branco para pegar passageiros. Além disso, para as alterações funcionarem, haverá a necessidade de inverter sentidos de fluxo em muitas ruas e avenidas do Centro para que os carros de passeio possam circular.

Cerca de mil metros da Perimetral já foram derrubados e a previsão é de que a Via Expressa%2C que vai substituir a estrutura%2C fique pronta em 2015Maíra Coelho / Agência O Dia

A novidade foi divulgada em almoço com jornalistas no Palácio da Cidade, em Botafogo. A operação detalhada, no entanto, só será anunciada na primeira semana de janeiro. Paes admitiu que os planos ainda estão em estudo e que não tinha como adiantar um projeto mais completo. Um dos problemas previstos é como será feita a chegada de carros, que vão em direção à Zona Sul e ao Santos Dumont.

Não é a primeira vez que Paes diz que vai mudar a Rio Branco. O prefeito confirmou também ontem que tem planos de levar para o local uma espécie de boulevard, onde pedestres pudessem passear. O jardim urbano iria da Avenida Nilo Peçanha à Presidente Wilson. 

Ainda não se sabe se a parte da Perimetral que será levada abaixo será implodida. “Talvez, será desmontada”, afirmou o prefeito. Paes enfatizou que a parte principal do elevado já foi fechada e que o mais preocupante é o trecho perto da Rodoviária. “Pode ter mais problema, porque é uma área de acesso à cidade”, disse ele.

Em novembro, a parte da Perimetral entre a Avenida Professor Pereira Reis e a Rua Silvino Montenegro, na Zona Portuária, composta por 29 vãos, foi implodida. Um mês antes, seis vigas, que pesam cerca de 20 toneladas, foram retiradas do elevado e desapareceram de um depósito da prefeitura, no Caju. O material, segundo o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Rio (Crea-RJ), está avaliado em cerca de R$ 14 milhões. Ainda não há informações sobre onde a estrutura foi parar.

Túnel sai ainda no primeiro semestre

Eduardo Paes afirmou também que o túnel da Binário, construído em paralelo à Avenida Rodrigues Alves — que passa embaixo da Perimetral —, será inaugurado no primeiro semestre de 2014. A nova via, de 1.480 metros, ligará a Rua Primeiro de Março à Rua Antônio Lage, próximo ao Moinho Fluminense, na Zona Portuária, e será uma alternativa para desafogar o trânsito na região.

A construção do túnel é considerada a segunda grande obra da fase dois do projeto Porto Maravilha, que visa revitalizar a região. O projeto prevê que a Avenida Rodrigues Alves seja, futuramente, uma via expressa, sem sinais ou pontos de ônibus.<CW-11> O túnel terá 24 metros de profundidade e começará na Avenida Primeiro de Março, em rampa, após a esquina da Rua Visconde de Inhaúma.

Ele passará sob a Rua Dom Gerardo, por baixo do Morro de São Bento, na Praça Mauá, e seguirá entre o Museu de Arte do Rio (MAR) e o prédio da Polícia Federal. A partir daí, continuará no trecho da antiga Via Trilhos e voltará à superfície, na altura da Rua Barão de Tefé

Você pode gostar