Por bferreira

Rio - A menina Alexia Graziela Furtado, de 6 anos, baleada na cabeça em uma troca de tiros entre traficantes na tarde de sábado, em Belford Roxo, permanece internada em estado grave no CTI Pediátrico do Hospital de Saracuruna, em Duque de Caxias. A bala atravessou o crânio e criou um coágulo sanguíneo, que foi removido pela equipe de cirurgia.

O tiroteio aconteceu por volta das 17h15 de sábado, entre traficantes do Comando Vermelho e da facção Amigos dos Amigos (ADA), no Morro do Machado, no bairro Jardim Redentor. Segundo policiais do 39º BPM (Belford Roxo), bandidos do Morro da Caixa d´Água, ligados ao CV, tentaram invadir o Morro do Machado, cujo tráfico está sem comando desde a prisão, há dois meses, do chefão Paulo Roberto Pinho Brandão, o Panela, ligado à ADA.

Alexia, sua mãe e a irmã mais velha tinham ido à farmácia comprar sorvete no momento dos disparos. “Foi tudo muito rápido. Quando elas ouviram o barulho dos tiros, ela caiu no chão, já sangrando”, contou o aposentado Antônio Aprígio Azevedo Alves, 59 anos, pai de Alexia.

Segundo ele, os médicos só poderão constatar possíveis melhoras no quadro clínico da menina após 72 horas do acidente. “Eles disseram que se ela mantiver a situação estável, vai ficar boa. Mas eu estou preparado para tudo. E espero que, se existe justiça, ela seja feita. Uma pessoa que fez o que fez com uma menina de seis anos só pode ser muito covarde”, disse. E acrescentou: “Se pudesse, já teria levado todos os meus familiares para morar em Araruama, onde a violência não é tão assustadora”.

Você pode gostar