Filas e desorganização na busca por documentos na delegacia de Copa

Vítimas organizaram por conta própria o material em caixas no chão da 12ª DP para facilitar a procura

Por O Dia

Rio - O primeiro dia do ano foi de transtorno e aborrecimento para quem passou o Réveillon na Praia de Copacabana. Dezenas de pessoas que tiveram seus pertences furtados enfrentaram delegacia lotada para registrar os casos e encontraram centenas de documentos e carteiras espalhados pela 12ª DP (Copacabana). Pela manhã, o que se via no saguão da unidade era fila para atendimento e várias pessoas sentadas no chão, procurando seus pertences entre uma pilha de identidades, cartões bancários e carteiras encontradas.

Busca por documentos e objetos perdidos no Réveillon era feita sem nenhuma fiscalização na 12ªDPVania Cunha / Agência O Dia

Revoltados com a desorganização do atendimento, muitos cariocas e turistas reclamaram. “Estava tudo no chão, a gente tinha que se virar, agachar e procurar as nossas coisas. Eu que arrumei as caixas de mercado para poder organizar os documentos, as carteiras. Qualquer pessoa pega algo aqui, fala que é seu e vai embora, sem registrar”, criticou o paulistano Isaque de Souza Gonçalvez, que teve a câmera, carteira e dinheiro retirados de seu bolso em frente ao palco principal da orla.

“Fizemos o registro e simplesmente pediram para ir a outra delegacia. Levaram nosso dinheiro, cartão. Nem dinheiro para voltar a gente tinha. Não somos daqui e precisamos ir embora. Foi o primeiro e último Réveillon aqui. Estou decepcionada demais”, desabafou a mineira e operadora de telemarketing Luciana Fidélis.

A delegacia funcionou como central de flagrantes e, durante a madrugada, recebeu cerca de 200 pessoas. Por volta das 2h, o sistema caiu e foi recomendado àqueles que não haviam perdido documentos, que realizassem registros no dia seguinte.

O catarinense Mário Moreira se mostrava desolado com o atendimento. “Na unidade móvel da Av. Atlântica, fui encaminhado para cá. Aqui, me mandaram para casa sem solução. É triste.”

Últimas de Rio De Janeiro