Por bianca.lobianco

Rio - Submetido a uma cirurgia na quinta-feira, Elias de Araújo Apolinário, de 41 anos, não saiu de casa na madrugada desta sexta-feira, no bairro de Cabuçu, na Baixada Fluminense, para abrir a distribuidora de pães no Centro do Rio, negócio que administrava desde 2003 com a mulher Lucina Maria Macedo Barbosa, de 44 anos.

O filho Elias de Araújo Apolinário Júnior, de 14 anos, em seu lugar na van fretada pela distribuidora para transportar funcionários. Mãe e filho estavam no banco da frente, ao lado do motorista, Geraldo Santos Guimarães de Melo, de 72 anos.

Por volta de 5h, a van colidiu na traseira de uma carreta na Via Dutra, altura do Trevo das Margaridas. O motorista da van e a mãe do jovem morreram na hora. Um homem não identificado também morreu. Elias Jr. está internado no Hospital Getúlio Vargas, na Zona Norte. Outras 11 pessoas ficaram feridas.

Colisão envolvendo van e caminhão deixou três mortos e 12 feridos na Via DutraFotos%3A Severino Silva / Agência O Dia

A tragédia se abateu sobre a família que comemorava ter voltado para a casa recém-reformada. "Fizemos um almoço em família no dia 1º, minha mulher estava muito alegre, parece que foi uma despedida", diz o comerciante, muito emocionado. Ele acredita que Lucina, com quem era casado desde 1995 e tinha uma filha de 16 anos, tenha abraçado o filho no momento do acidente para protegê-lo e por isso morreu na hora.

"Acredito muito em Deus e no destino, mas não sei como vou levar a vida daqui pra frente", disse Elias.

Van estava em alta velocidade

Segundo Eduardo Felipe de Almeida Platana, de 18 anos, a van mudou de pista em alta velocidade e bateu na traseira do caminhão, que estava mais lento. Após o acidente o motorista Odair José Mendonça de Jesus teria tentado fugir, mas se arrependeu e voltou ao perceber a gravidade do acidente. Segundo a polícia, Odair não tinha habilitação para dirigir o caminhão, que transportava 8 toneladas de farinha.

Mulher do dono da padaria que fretou a van morreu na hora. Motorista que dirigia utilitário em alta velocidade também não resistiu à colisãoFotos%3A Severino Silva / Agência O Dia

Mãe de ferido reclama de mau atendimento no Hospital da Posse

Davi Marlen Gabelha Lourenço, de 16 anos, sofreu traumatismo facial e foi submetido a uma cirurgia no Hospital da Posse, em Nova Iguaçu. A mãe dele, Patrícia da Silva Gabelha, muito preocupada, reclamou do mau atendimento. "Meu filho está com sangramento na face, com a perna ferida e está sendo mau atendido no hospital. É o pior dia da minha vida", disse desesperada.

Também ficaram feridos sem gravidade: Tadeu Almeida dos Santos, de 13 anos; Paulo Luiz Barbosa da Silva, de 16 anos; Raphael Thales da Silva Mile, de 25 anos; Luan Pereira Diniz, de 22 anos; Kelsio Silva de Jesus, de 19 anos; Eduardo Felipe de Almeida Platana, de 18 anos; Reginaldo Alsemo Correia, de 27 anos; Johnny Oliveira de Souza, 17 anos e Marlon Davison Cesario de 17 anos. Todos eles foram socorridos e levados para o Hospital da Posse. Um homem ferido e não identificado foi levado para o Hospital Carlos Chagas, na Zona Norte.

Você pode gostar