Por bianca.lobianco

Rio - Mesmo com o território livre do domínio do tráfico, a vida dos moradores de algumas das comunidades pacificadas do Complexo do Alemão ainda não começou a melhorar. Muitos continuam sofrendo com velhos problemas sociais, como a falta de coleta de lixo e esgoto correndo a céu aberto. Moradores das comunidades da Baiana e Pedra do Sapo contaram ao DIA que o lixo transborda das caçambas e se acumula pelas ruas, causando mau cheiro. Com as altas temperaturas dos últimos dias, a situação piora.

Acúmulo de lixo nas ruas e esgoto a céu aberto são as maiores queixas Alessandro Costa / Agência O Dia

“Quando o sol bate, o cheiro é insuportável. Para sair de casa, a gente tem que ficar pulando as sacolas de lixo abertas pelos cachorros. Fica tudo revirado e imundo”, reclamou uma moradora. que pediu para não ser identificada.

A proliferação de moscas, ratos, baratas e outros insetos também é uma consequência dramática do acúmulo de detritos nas ruas. “Tenho que ficar vigiando as crianças à noite, para não subir barata em cima deles. Parece que a gente vive em um lixão”, disse Maria Aparecida dos Santos, de 36 anos.
Publicidade
Ainda segundo os relatos dos moradores, o esgoto que corre no local, principalmente na Rua Itaocara, também causa trasntornos. Eles alegam que uma fossa estourou há cerca de um mês e que o material corre a céu aberto, formando espécie de vala na rua. Moradores afirmam ter acionado os órgãos competentes, mas que o problema não foi solucionado.
Você pode gostar