Candidatas à PM protestam em frente ao QG

Aprovadas no teste escrito de 2010 fazem ato contra a proporção de homens e mulheres entre os convocados

Por O Dia

Rio - Cerca de 30 mulheres que prestaram concurso em 2010 para a Polícia Militar realizaram na manhã de ontem uma manifestação em frente ao Quartel General, no Centro. As candidatas, classificadas na prova escrita, afirmam que os homens estariam tendo preferência na convocação, mesmo com notas inferiores.

Cerca de 30 mulheres participam da manifestação e pedem que sejam convocadas para as provas físicasFabio Gonçalves / Agência O Dia

Além disso, denunciam que o comandante-geral da PM, coronel José Luís Castro Menezes, teria dito, sexta-feira, que as mulheres representariam um maior custo para a corporação. De acordo com o grupo, o edital previa inicialmente a convocação de 1,8 mil homens e 800 mulheres e, posteriormente, o dobro de ambos os números. Entretanto, quando ampliaram o número de convocados, a proporção de mulheres caiu, segundo elas. Em nota, a PM informou que ingressaram 11.500 homens e 1.500 mulheres.

A instituição negou que o comandante tenha discriminado as candidatas, informando apenas ‘que a atividade policial, em sua maioria, demanda esforços que são mais afeitos ao gênero masculino’.

Últimas de Rio De Janeiro