Por cadu.bruno
Rio - A Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) deve ser inaugurada no próximo dia 29 de janeiro. De acordo com a assessoria de imprensa da Polícia Civil, a unidade vai contar com 150 novos policiais e 10 delegados e funcionará de segunda a segunda, 24 horas por dia, investigando todos os homicídios ocorridos em município da região.
"Quero dizer para a comunidade da Baixada que para a Polícia Civil a Baixada é muito importante. Nós estaremos inaugurando no próximo dia 29 em Belford Roxo, em caráter temporário, a nova Divisão de Homicídios, que vai reproduzir o protocolo de atendimento da Divisão de Homicídios da capital", disse ao Bom Dia Rio a chefe de Polícia Civil, delegada Martha Rocha.
Publicidade
A Baixada Fluminense tem sofrido com uma recente onda de violência. Na noite desta quarta-feira, os primos Eric Nascimento, de 22 anos, e Gabriel Souza, 19, foram mortos a tiros no Centro de Nilópolis, a cerca de 700 metros da escola de samba Beija-Flor. O corpo de um homem também foi encontrado com sinais de enforcamento em Olinda, distrito do município. Pelo menos 14 pessoas foram mortas nas últimas 30 horas na região.
"Nilópolis virou o 'shopping da vagabundagem'. Eles vem de todos os cantos: Morro da Lagartixa, do Chapadão, dessas comunidades violentas do Rio. Isso aqui era uma tranquilidade. Não há mais sossego", disse revoltado um comerciante que preferiu não se identificar e está há 13 anos no Centro da cidade.
Dois jovens foram mortos a tiros em NilópolisOsvaldo Praddo / Agência O Dia

Segundo policiais do 20º BPM (Mesquita), Eric e Gabriel, moradores do bairro de Anchieta, na Zona Norte do Rio, que faz divisa com Nilópolis, tinham roubado um Fiesta preto, em Mesquita, também na Baixada Fluminense. O rastreador bloqueou o veículo. Eles abandonaram o carro e seguiram pela Rua João Evangelista de Carvalho, onde foram assassinados por homens armados. Os criminosos fugiram após o crime. Peritos estiveram no local, mas familiares das vítimas não quiseram dar declarações. Segundo informações, a área é dominada por uma milícia.

Publicidade
Na Rua Carlos Souza Fernandes, em Olinda, próximo ao Let´s Fly Motel, PMs do batalhão encontraram o corpo de um homem negro, de cerca de 30 anos. A vítima apresentava sinais de enforcamento. Segundo testemunhas, homens em um carro de cor preta abandonaram o cadáver e fugiram. A via é um os acessos ao Morro da Mina e considerada área de risco pela polícia.
Jovem de 12 anos é morta por bala perdida
Publicidade
Informalmente policiais do 20º BPM disseram que o número de homicídios vem crescendo assustadoramente na Baixada Fluminense. Eles atribuem o aumento da violência a vinda maciça de bandidos do Rio para dominar comunidades carentes da região, invadindo morros e favelas para fortalecer o tráfico de drogas e implantar bocas-de-fumo. Segundo um deles, a região onde os primos Eric e Gabriel foram assassinados é considerada tranquila em Nilópolis.
Corpo de adolescente vítima de bala perdida foi enterrado nesta quarta no cemitério de Olinda%2C em NilópolisFabio Gonçalves / Agência O Dia

Durante a madrugada, um homem foi morto a tiros no bairro Grande Rio, em São João de Meriti. Por volta das 21h, na Vila Liberdade, em Magé, Sandro dos Santos da Silva, de 31 anos, também foi assassinado a tiros dentro de um Chevette. A autoria e a motivação dos dois homicídios são desconhecidos pela polícia. A 21ª DP (São João de Meriti) e 65ª DP (Magé) investigam os casos.

Entre o fim da noite de terça-feira e a madrugada de quarta-feira, nove pessoas foram mortas na Baixada Fluminense. No caso mais grave, dois homens e uma menina de 12 anos foram assassinados. Os homens eram os alvos dos algozes e a adolescente acabou atingida por uma bala perdida. A irmã dela, de 15, uma mulher de 59 e um homem ficaram feridos à bala.

Há uma semana, oito homens foram mortos entre a quinta e a sexta-feira, em cinco pontos diferentes de Nova Iguaçu.