Por cadu.bruno
Rio - O comandante-geral da Polícia Militar, coronel José Luís Castro confirmou, nesta sexta-feira, a exoneração do tenente-coronel Márcio Rocha do comando do Batalhão de Choque. A informação foi adiantada na edição desta sexta de O DIA. De acordo com ele, o afastamento foi estratégico.
"Foi uma decisão administrativa e estratégica, mas também levamos em conta outros pontos, como a rigidez e reclamações que foram recebidas", apontou Castro, durante cerimônia de formatura de 595 novos PMs, Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (CFAP), em Sulacap, na Zona Oeste.
PM formou nesta sexta-feira 595 novos soldados%2C sendo 121 mulheresSeverino Silva / Agência O Dia

O coronel André Vidal, que já comandou os batalhões de Petrópolis e o de Meio Ambiente, assume o Batalhão de Choque.

Publicidade
Semana passada, a portaria do edifício onde Márcio Rocha mora, em Jacarepaguá, foi alvo de tiros disparados por ocupantes de uma moto. Dias antes, um 'despacho' foi colocado na porta do gabinete do coronel.
Em novembro, O DIA mostrou denúncias de policiais insatisfeitos com as condições de trabalho e estrutura do batalhão centenário. Eles alegavam que eram, entre outras situações, obrigados a trabalhar na folga sem receber o Regime Adicional de Serviço (RAS). Procurado por O DIA nesta quinta, o coronel Rocha disse que não sabia sobre a exoneração.