Por tamyres.matos
Rio - Em outubro de 2012, as cenas de maus-tratos a cachorros na pet shop Quattro Patas, no Engenho de Dentro, chocaram cariocas e revoltaram donos e protetores de animais. O caso ficou conhecido como ‘Pet Shop dos Horrores’, após a divulgação do vídeo mostrando os cães apanhando na hora do banho. Os responsáveis foram denunciados pelo Ministério Público e estão respondendo a processo. E o local, que não tinha licença para funcionar, foi fechado.
Sim, maltratar animais é crime, previsto na Lei 9605/98, com pena que varia de três meses a um ano de prisão e multa. Mas, como é considerado crime de menor potencial ofensivo, a punição é revertida em pena alternativa. Mesmo assim, o número de denúncias de maus-tratos a animais têm aumentado. E as redes sociais se tornaram uma arma poderosa para a polícia na hora de punir o agressor. São centenas de postagens por dia na Internet.
Dona dos boxers Têmis e Chiara%2C a promotora de Justiça Christiane Monnerat criou um site para receber denúnciasDivulgação

A afirmação é da promotora de Justiça Christiane Monnerat, que criou um site (endereço no quadro ao lado) para receber denúncias. Foi ela quem denunciou os agressores da Quattro Patas também por concurso material (quando o agente, mediante mais de uma ação ou omissão, pratica dois ou mais crimes, idênticos ou não), que prevê prisão. A ação está na 31ª Vara Criminal da Capital.

Publicidade
No ar há um mês, o site tem mais de 30 mil visualizações. “O celular avisa quando entram notícias no site, e as pessoas também me ligam. Em casos de urgência, aciono a polícia na hora e muitas vezes conseguimos salvar o animal”, explicou ela, que tem as boxers Têmis, de 7 anos, e Chiara, de 9.
Abandono, envenenamento, agressões e até mortes são os principais casos que chegam à Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA). “Muito falam que a denúncia não vai dar em nada. Mas as denúncias são apuradas, e os culpados, punidos”, garante o delegado José Rezende. Todas as delegacias do Rio têm atribuição para investigar maus-tratos a animais.
Donos de animais em ato na porta de pet shop no Engenho de DentroDivulgação

SITES ÚTEIS

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Mulher é salva por uma peluda muito esperta
Olha que história bacana: na semana passada, em Liverpool, na Inglaterra, Lesley Hailwood, de 61 anos, foi salva da morte pela cadela Nell. A mulher comia um pedaço de chocolate, engasgou e perdeu o ar. Quando percebeu que a dona estava praticamente sufocada, a cachorra correu para o sofá e pressionou o peito da vítima com as duas patas.
Publicidade
Com o movimento, a guloseima desobstruiu a garganta de Lesley, que voltou a respirar normalmente. Ela cuida de Nell enquanto está em treinamento para virar um cão-guia, o que deve acontecer em breve. A esperta cadela tem 1 ano e 5 meses e é uma mistura de pastor alemão com golden retriever.