Fiéis lotam igreja em celebrações pelo Dia de São Sebastião

Missa reuniu centenas na Igreja dos Capuchinhos, na Tijuca. Dom Orani comparou o povo carioca com santo padroeiro

Por O Dia

Rio - Na data em que se comemora o Dia de São Sebastião, padroeiro do Rio, a Igreja de São Sebastião dos Frades Capuchinhos, na Tijuca, na Zona Norte, lotou de fiéis que foram ao local para assistir à missa celebrada por Dom Orani. A cerimônia teve a duração de duas horas e, durante a homenagem, o arcebispo do Rio comparou os cariocas com o santo do dia. "O povo carioca parece muito com São Sebastião. É um povo muito guerreiro e não se abala com as flechadas da vida", disse ele. 

>>> GALERIA: confira fotos da comemoração dos fiéis no Dia de São Sebastião

Ao final da missa, Dom Orani, comentou sobre o procedimento de reconhecimento canônico e início do processo de beatificação do casal Zélia e Jerônimo, que viveu na Tijuca, conforme antecipou O DIA em matéria nesta segunda. Em seguida, um pergaminho contendo as informações do casal foi assinado e as urnas com os restos mortais dos candidatos a santos foram lacradas. Elas serão encaminhadas para a associação Nossa Senhora da Conceição, na Gávea, que há dois anos trabalha com o processo de beatificação. Lá as urnas ficarão expostas. 

Dom Orani mostrou os restos mortais do casal Zélia e Jerônimo%2C na Igreja dos CapuchinhosSeverino Silva / Agência O Dia

"O Rio de Janeiro é uma cidade que tem muitas pessoas boas e até santas, como o caso desse casal", disse o arcebispo, lembrando que esse é o primeiro caso de canonização de um casal brasileiro. "Estou muito feliz com esse processo de beatificação, foi um casal que praticou caridade a vida toda, e sempre seguiu os princípios dos ensinamentos bíblicos", concluiu.   

A Abertura Canônica do Processo de Beatificação dos dois foi assinada por Dom Orani na Paróquia Nossa Senhora de Copacabana.Com isso, o casal entra no mesmo ‘status’ da menina Odetinha, cujo processo de beatificação foi aberto em janeiro de 2013. Na primeira fase do processo, uma comissão arquidiocesana vai analisar documentos e ouvir pessoas relacionadas à vida dos candidatos a santos.

Igreja dos Capuchinhos ficou lotada durante toda a manhãSeverino Silva / Agência O Dia


Fiéis fazem homenagem na Praia de Copacabana

Também na manhã desta segunda-feira, um grupo de fiéis, devotos e simpatizantes do santo se reuniu na Praia de Copacabana para uma homenagem e em seguida um ato simbólico de protesto contra a violência que assola a cidade.

Os participantes fizeram um minuto de silêncio afim de pedir melhoras para a atual situação de desleixo da saúde no estado, onde milhares de pessoas padecem nas filas dos hospitais.

Segundo a médica Angela Tenório, uma das organizadoras do encontro, o ato foi para homenagear o padroeiro e a cidade do Rio de Janeiro, tão castigada pela violência urbana e falta de estrutura nos hospitais públicos. "São Sebastião foi um bravo soldado romano e sua única intenção era lutar contra as injustiças dos poderosos de Roma contra o povo. Acabou sendo morto, mas sua luta se perpetuou. Estamos unidos neste propósito, pois o Rio necessita das bênçãos para combater os males que o cercam” disse a médica.

Cerca de três mil medalhinhas e santinhos de São Sebastião foram distribuídas à população como uma simbologia de fé e de luta por uma cidade mais humana, com condições dignas de saúde e combate à violência.

Últimas de Rio De Janeiro