Vereadores cobram origem de verba para Transbrasil

Eles querem saber de onde a prefeitura vai tirar dinheiro para bancar a obra do BRT e também onde o corredor vai terminar no Centro

Por O Dia

Rio - Inconformados com a falta de clareza em relação às obras do corredor BRT Transbrasil, vereadores vão cobrar da Prefeitura do Rio de Janeiro informações sobre o custo total da obra e sobre o local do Centro onde o corredor vai terminar.

Conforme O DIA noticiou neste domingo, o Tribunal de Justiça suspendeu a licitação do primeiro lote de obras do corredor, que aconteceria nesta terça-feira. O motivo foi a antecipação da data pela prefeitura — a concorrência aconteceria dia 12 de fevereiro.

Paulo Pinheiro (Psol) disse que vai solicitar, por meio da Lei de Acesso à Informação, dados sobre a origem dos recursos a serem usados no segundo lote da obra, que vai do Caju ao Centro e onde terminará o BRT. A prefeitura ainda não definiu o local.

“Ninguém é contra o Transbrasil, mas é preciso discutir. Não saber de onde virão os recursos é um erro enorme. Daqui a pouco, vão precisar de empréstimo e isso terá que ser votado na Câmara”, aponta.

Para a vereadora Teresa Bergher (PMDB), trata-se de descaso com o dinheiro público. Ela reclama que a prefeitura não responde aos requerimentos de informação dos vereadores, mas que, mesmo assim, vai solicitar dados sobre o Transbrasil. “É incrível que a prefeitura ainda não saiba dizer onde essa via vai dar e com que dinheiro será paga. Não conseguimos ter acesso aos detalhes dessa obra”, disse.

Já Renato Cinco (Psol) lembra outra irregularidade: a licitação seria aberta antes de o Tribunal de Contas do Município (TCM) analisar o edital. Renato teme que a indefinição sobre os recursos inviabilize a conclusão do BRT. A Secretaria Municipal de Obras informou que a licitação segue adiada até o arquivamento da análise do edital no TCM, o que deve acontecer até 12 de fevereiro. As obras começam neste semestre.

Últimas de Rio De Janeiro