Comitiva do Haiti chega ao Rio para ‘importar’ UPPs

Grupo tem a missão de adquirir experiências sobre projeto de pacificação que já conta com 36 unidades em todo o estado

Por O Dia

Rio - Uma comitiva formada por policiais do Haiti desembarcou no Brasil nesta terça-feira para intercâmbio com a PM fluminense. O grupo faz parte da missão que vai levar para aquele país caribenho experiências adquiridas aqui no processo de pacificação de comunidades para implantar lá modelo semelhante ao das 36 Unidades de Polícia Pacificadoras (UPPs) do estado.

Em julho, O DIA mostrou que o primeiro passo para o processo de implantação de uma polícia de proximidade no Haiti foi dado pelo prefeito da cidade de Soleil, Philippe Jean Renold, que conheceu as UPPs do Complexo do Alemão.

Um mês antes, as polícias dos dois países assinaram acordo de cooperação para trocar experiências sobre o tema. Na época, Philippe ficou surpreso com o que viu no Rio. “Estou muito emocionado e feliz com o que vi. O projeto é algo maior do que poderíamos imaginar, e a realidade que as pessoas tinham aqui antes é o que a nossa população do Haiti ainda vive hoje”.

Os cinco integrantes da Polícia Nacional do Haiti - que atuam em seu país nas áreas de forças especiais, defesa da mulher e polícia de proximidade - ficarão no Rio até o fim da semana, para receber instruções dos policiais cariocas e repassar o conhecimento aos colegas de Soleil.

Beltrame inaugurou Companhia Destacada da PavunaSeverino Silva / Agência O Dia

Pavuna e Baixada

A Polícia Militar inaugurou, ontem de manhã, a Companhia Destacada da Pavuna. Entre as comunidades atendidas por esse destacamento, que terá 60 homens, estão o conjunto de favelas da Pedreira e Parque Colúmbia.

O secretário de Segurança Pública, José Mariano Beltrame participou da cerimônia no local. “Esta era uma demanda que tínhamos que atender. A população estava precisando disso. Não é um trabalho fácil, porque é uma luta eterna para baixar os índices de criminalidade”.

Nesta quarta-feira, às 10h, o governo do Rio vai inaugurar a sede provisória da Divisão de Homicídios (DH) da Baixada. O projeto da unidade — implantada em prédio cedido pela Cedae, na Rua Floripes da Rocha 42, em Belford Roxo — visa desafogar o trabalho das delegacias distritais dos municípios da Baixada Fluminense.

Últimas de Rio De Janeiro