BPVE notifica 111 veículos durante fiscalização na Linha Amarela

Desse total, 22 foram autuados por outras irregularidades de trânsito

Por bianca.lobianco

Rio - Policiais do Batalhão de Policiamento das Vias Expressas já notificaram 111 veículos na manhã desta quarta-feira. Desse total, 22 foram autuados por outras irregularidades do trânsito. Nesta manhã, o BPVE começou desde as 6h a fiscalização para coibir veículos com transporte de carga na Linha Amarela em horário proibido. Nesta terça-feira, por volta de 9h da manhã, um caminhão que trafegava com uma caçamba levantada atingiu uma passarela, derrubando-a e deixando cinco pessoas mortas e outras cinco feridas.

>>> GALERIA: Tragédia na Linha Amarela deixou cinco pessoas mortas

De acordo com o comandante do BPVE, major Gilbert Santos, a fiscalização será intensificada nos próximos dias e a Lamsa, concessionária que administra a via, será avisada da existência da placa que proíbe caminhões e não veículos de carga. Muitos motoristas estão reclamando que estão sendo parados para a vistoria. Eles justificam que a placa indica apenas que caminhões não podem trafegar no horário estabelecido. A fiscalização está em cinco pontos montados ao longo da Linha Amarela.

Estão livres para a circulação os veículos de utilidade pública, estabelecidos pela resolução 268/2008, do Contran, veículos de emergência, de mudanças residenciais e transportes de combustível ou lubrificante.

Caminhão atingiu passarela da Linha Amarela%2C que desabou%2C deixando cinco pessoas mortasFabio Gonçalves / Agência O Dia

Vítimas de tragédia na Linha Amarela serão enterradas hoje

Morreu, no início da manhã desta quarta-feira, Luiz Carlos Guimarães, de 60 anos, que estava internado em estado grave no Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, vítima da tragédia envolvendo um caminhão que derrubou a passarela da Linha Amarela, em Pilares.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, Luiz Carlos estava internado na unidade com traumatismo craniano grave, edema cerebral e várias fraturas na costela.

As outras quatro vítimas fatais da tragédia na Linha Amarela serão enterradas na tarde desta quarta-feira em dois locais distintos do Rio. Adriano Pontes de Oliveira, Célia Maria e o taxista Alexandre Gonçalves de Almeida serão enterrados no Cemitério de Inhaúma, entre 13h e 13h30. Já Renato Pereira Soares, motorista do Palio, será enterrado no Cemitério do Maruí, em Niterói, na Região Metropolitana, às 13h.

O motorista Luiz Fernando da Costa, de 30 anos, que dirigia o caminhão que provocou a tragédia na Linha Amarela, foi transferido do Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca, para uma unidade particular em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. De acordo com a secretária Municipal de Saúde, a transferência de Luiz Fernando aconteceu durante a madrugada desta quarta-feira. O motorista sofreu uma lesão abdominal e estava sob observação na unidade.

Já Liliane de Souza Rangel, 33 anos, permanece no Hospital Municipal Souza Aguiar. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, ela teve uma fratura na bacia, está sob observação e seu estado de saúde é estável, não correndo risco de morte.

Gláucia Andrade, de 56 anos, e Jairo Venatti, de 44 anos, estão nos hospitais Estadual Alberto Torres e Federal de Bonsucesso, respectivamente. Ainda não há informações atualizadas do estado de saúde dessas vítimas.

Polícia pretende ouvir testemunhas do acidente

Testemunhas que presenciaram a tragédia na Linha Amarela devem ser ouvidas pela 44ª DP (Inhaúma) nesta quarta-feira. De acordo com a 44ª DP, uma das pessoas a serem ouvidas é o motorista do ônibus que tentou avisar ao condutor do caminhão que a caçamba está aberta.

Ao DIA, Antônio Carlos da Silva, de 43 anos, que trabalha na linha 315 (Central/Recreio), contou em detalhes os momentos que antecederam o acidente "Fiz de tudo para avisar. Buzinei, gritei que a caçamba estava levantada e ia bater na passarela. Parei a 50 metros da passarela que ele derrubou", disse.

Ainda segundo a delegacia, as investigações estão em andamento para apurar as circunstâncias do acidente. O delegado responsável pelo caso também pretende ouvir, ainda nesta quarta-feira, as vítimas sobreviventes e o condutor do caminhão, caso eles tenham liberação médica. Segundo, Fábio Asty, o motorista Luiz Fernando da Costa disse que entrou na Linha Amarela por conta própria, mesmo sendo em horário proibido. 

Imagens de câmeras de segurança da via estão sendo analisadas. A polícia também aguarda resultado dos laudos periciais.

O delegado também aguarda na 44ª DP algum representante da empresa responsável pelo caminhão. 

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia