Por nara.boechat
Rio - O morador da Rocinha, Edilson Rodrigues da Silva Cardoso, de 32 anos, será enterrado em Salvador (Bahia), onde sua família mora. Ele foi baleado por volta das 2h da madrugada de sexta-feira, enquanto fumava perto de sua casa, na Rua Três, e quando policiais da UPP faziam operação na região. Vizinhos afirmam que o tiro foi disparado pelos PMs, que perseguiam suspeitos. Porém, a corporação diz que ele foi encontrado ferido por policiais.
O irmão do operário veio da Bahia ontem à noite para autorizar a liberação do corpo. Por não ter nenhum registro civil de casamento nem de União Estável com Edilson, a esposa dele, Fernanda Lopes, 31, que apenas morava com ele, foi impedida de fazer o procedimento.

Ontem, o clima na Rocinha era de tranquilidade. Mas na sexta-feira, a morte do morador — considerado “gente-boa” pelos vizinhos — causou revolta entre a população. Parte do comércio não abriu e, por volta do meio-dia, traficantes promoveram foguetório.

Rocinha reabre o comércio um dia após morador ser assassinadoCarlo Wrede / Agência O Dia

A Divisão de Homicídios está investigando o caso e espera resultado da perícia feita no local.
Segundo parentes e moradores que estavam perto do local, o operário teria sido alvejado no abdômen por um tiro disparado por PM a 20 metros de distância.

Publicidade
“Foi uma covardia o que aconteceu. Ele era trabalhador de bem. Tem gente que diz ter visto PM atirando”, relatou um comerciante de 36 anos. Fernanda vai enterrar o marido em Salvador e pretende morar com o irmão, Janison Lopes, 24, e a cunhada Vitória Pinto, 18:
“Ela está mal, tentando melhorar para pedir justiça. Quando voltar da Bahia é o que fará”, disse Vitória.
Publicidade
Policiais que viraram vítima
Ataques a policiais de UPPs foram registrados no Complexo do Alemão e no Andaraí, sexta-feira. O pátio da 45ª Delegacia de Polícia (Alemão) foi alvo de suspeitos que lançaram coquetéis molotov em direção ao local, atingindo dois veículos — de um policial civil e de um PM da UPP. Não houve feridos. Segundo a polí<MC>cia, a ação foi orquestrada por traficantes.
Publicidade
No Morro do Andaraí, um PM da UPP foi baleado na barriga, na sexta, durante patrulhamento na localidade Cruzeiro. Segundo a corporação, os PMs foram surpreendidos por criminosos e “não revidaram”. Ele foi para o Hospital do Andaraí.