Manifestantes se concentram na Candelária

Protesto, que é contra o aumento das passagens de ônibus, deve seguir até a Cinelândia

Por O Dia

Rio - Cerca de 50 manifestantes estão concentrados na Candelária, na tarde desta quinta-feira, no protesto do Movimento Passe Livre (MPL) contra o aumento das passagens de ônibus e do serviço de transporte público. O ato deve seguir até a Cinelândia.

Muitos ativistas estão com bandeira de partidos e associações de estudantes. Eron de Melo, o Batman das manifestações também está presente com o Coringa. Muitos PMs do Batalhão de Choque (BPChq) acompanham a concentração e estão espalhados pelas vias do entorno, como as Avenidas Presidente Vargas e Rio Branco, além da Rua Primeiro de Março. O trânsito é complicado nas vias.

Passagem deveria diminuir ao invés de aumentar, diz TCM

O Tribunal de Contas do Município (TCM) contrariou o relatório técnico feito por especialistas do próprio órgão e que deveria dar base sobre o reajuste das tarifas dos ônibus. Enquanto o material indicava que as passagens deveriam ser reduzidas para R$ 2,50, os conselheiros aprovaram pelo aumento do preço, o que foi acatado pelo prefeito Eduardo Paes, que elevou o valor para R$ 3,00 a partir do próximo dia 8.

Em nota, o TCM informou que o plenário é um colegiado que "tem autonomia de decisão e não está vinculado a manifestação técnica, podendo discordar". No caso em questão, haveria uma violação ao contrato feito entre a Prefeitura e as concessionárias a partir de um edital de licitação, comprometendo, assim, a segurança jurídica.

A prefeitura enviou nota afirmando que "está seguindo criteriosamente as recomendações do relatório final do Tribunal de Contas do Município a que a administração municipal teve acesso e que é de conhecimento público. A prefeitura não tem acesso a documentos e discussões internas do TCM, como as citadas na reportagem."

Já a Rio Ônibus "entende que a decisão final do Tribunal de Contas do Município (TCM), publicada hoje no Diário Oficial, é bem clara, e afirma que a Prefeitura poderá reajustar a tarifa de ônibus, nos termos do contrato em vigor.

A revisão tarifária solicitada em 2012 ainda esta sendo examinada pelo TCM, e o voto publicado hoje determina que não haja novos processos de revisão ate a conclusão desse julgamento. Ainda de acordo com as empresas de ônibus, todas as informações necessárias para comprovar a necessidade da revisão para o equilíbrio econômico-financeiro do sistema foram encaminhadas ao TCM. E os dados usados pelo corpo técnico do Tribunal foram resultado de uma simulação, não refletindo as informações reais apuradas pela Prefeitura e pelos consórcios, devidamente auditadas por empresa independente".

Últimas de Rio De Janeiro