Após Beltrame enviar proposta ao Congresso, PMs aparecem mascarados em ato

Entre medidas de texto sobre tipificação para crime de desordem, estava a proibição do uso de máscaras nos protestos

Por O Dia

Rio - Um dia depois do secretário de Segurança Pública, José Mariano Beltrame, enviar ao Congresso uma proposta para a tipificação de crimes de desordem que, entre outras medidas, proíbe a participação de mascarados nas manifestações, PMs do Batalhão de Choque (BPChq) usaram o adereço no ato desta quinta-feira, no Centro do Rio.

Perguntado sobre o motivo da utilização das máscaras pelos policiais, o tenente Rodrigues, que comanda a guarnição disse não ter a resposta. Mais de mil ativistas estão em frente à Prefeitura e alguns deles ficaram indignados ao ver os PMs com os rostos cobertos. Até o momento, não há registro de confusão.

Policiais do Batalhão de Choque usaram máscaras no ato. Em Brasília%2C Beltrame propôs projeto de lei%2C que%2C entre outras coisas%2C proíbe o adereço nos manifestantesAlexandre Vieira / Agência O Dia

A assessoria da Polícia Militar informou que os policiais do Batalhão de Choque utilizaram balaclavas (equipamento de proteção individual) durante o ato, que terminou sem incidentes. A nota do órgão prossegue afirmando que "os policiais permanecem com identificações nas fardas, embora em alguns casos o colete protetor possa cobrir as mesmas".

Protesto contra o aumento das tarifas de ônibus

O ato, que foi marcado pelo Fórum de Lutas contra o Aumento da Passagem, seguiu pelas principais vias do Centro, como as Avenidas Rio Branco e Presidente Vargas em direção à Central do Brasil e Cinelândia.

Manifestação reuniu mil no Centro do RioErnesto Carriço / Agência O Dia

Os ativistas portaram bandeiras de partidos políticos e carregaram faixas com palavras de ordem contra o aumento e de ataque à imprensa, chamada de fascista. Policiais militares acompanharam os manifestantes, que começaram a marchar na Avenida Presidente Vargas às 18h55.

Por volta das 19h40, os ativistas chegaram à Central, mas não pararam no local conforme vinha sendo feito nos últimos atos. Portões da Central do Brasil foram fechados no momento da passagem do grupo. A estação do metrô da Cidade Nova foi fechada preventivamente, mas não há registro de confusão. O tráfego apresentou lentidão no Viaduto dos Marinheiros, com retenção até o Maracanã. 

Últimas de Rio De Janeiro