Polícia prende três homens acusados pela receptação de máquinas de solda

Avaliados em R$ 3 milhões, dois dos equipamentos estavam na casa de um pastor, em Volta Redonda

Por O Dia

Rio - Um roubo milionário e de peso. Agentes da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF) recuperaram ontem cinco máquinas de solda usadas em plataformas de petróleo, que juntas pesam 250 quilos. Avaliadas em R$ 3,7 milhões, elas sumiram de um estaleiro em Angra dos Reis, na Costa Verde, e estavam nas mãos de três homens, presos pela polícia. Eles são acusados de tentar vender o material em site da Internet por R$ 270 mil.

O roubo aconteceu há dois anos, mas só segunda-feira o caso chegou à DRF. Em 48 horas, os agentes identificaram Edilson Germano de Sá e o capturado ontem em Bonsucesso. Dentro do carro dele — que é pastor em Volta Redonda, no Sul Fluminense — estava uma das máquinas. Jhonny Nostório, que estava no veículo, também foi preso. O pastor contou à polícia que outras duas máquinas estavam em sua casa e que Eberson Mayrink Fernandes do Nascimento, o Cacareco, estava com outra em Duque de Caxias. Ao chegar no endereço na Baixada Fluminense, a polícia encontrou parte do aparelho. A quinta máquina foi localizada em um matagal em Angra.

Pastor Eberson Mayrink Fernandes do Nascimento (esq.) e outros dois homens foram presos por policiais da Delegacia de Roubos e FurtosThiago Lara / Agência O Dia

O trio vai responder por receptação qualificada. Caso sejam condenados, podem pegar pena de três a oito anos de prisão. O roubo ocorreu em julho de 2012 e, segundo a polícia, foi feito por três homens, comandados por criminoso identificado como Japão, da Rocinha. De acordo com o delegado Braga, ele foi preso semana passada por assalto em uma joalheria em Barra Mansa, no Sul Fluminense. O material roubado nesta ocasião estava avaliado em R$ 500 mil.

As investigações apontam que o bando de Japão saiu do estaleiro levando sete máquinas de solda em barco. Na época, ele trabalhava no local, o que facilitou o crime. Dois equipamentos ainda estão desaparecidos.

Equipamentos pesam em torno de 250 quilos e foram roubados de estaleiro em Angra%2C há dois anosVania Cunha / Agência O Dia

“Essas máquinas fazem o trabalho de 15 homens. Elas valem muito para o estaleiro, custam em torno de 300 mil dólares. Mas nas mãos dos criminosos, não têm muita serventia. Tanto que eles passaram dois anos com elas e não conseguiram se desfazer. Através de monitoramentos, descobrimos o anúncio no site, por um preço bem abaixo do mercado”, explicou o delegado. Ele ressaltou que vai apurar quem são os envolvidos no furto.

Outro crime de peso, o desaparecimento das vigas da Perimetral, em setembro, voltou à tona ontem. O delegado, que assumiu o cargo semana passada, disse que vai avaliar o inquérito e descobrir novas linhas para a investigação.


Últimas de Rio De Janeiro