'Tenho que cumprir o meu destino', diz Roberto Jefferson

Delator do Mensalão, ex-deputado federal aguarda em casa a chegada do mandado de prisão

Por O Dia

Rio - Uma viatura da Polícia Federal segue em frente à casa de Roberto Jefferson, no município de Levy Gasparian, interior do Estado do Rio, aguardando a chegada do mandado de prisão. Mesmo na iminência de ser preso a qualquer momento, o ex-deputado federal, delator do Mensalão, apareceu sorridente na sacada de sua residência, na manhã desta segunda-feira. Questionado sobre sua aparente calma, Jefferson afirmou que esses dias têm sido angustiante para ele.

Mesmo na iminência de ser preso a qualquer momento%2C Roberto Jefferson conversou com os jornalistas nesta segunda-feira e comemorou a vitória do BotafogoFabio Gonçalves / Agência O Dia

"Não tenho dormido, é uma história angustiante. Mas tenho que cumprir o meu destino", disse o ex-deputado, que ainda comemorou a vitória do time reserva do Botafogo, sobre o Fluminense, no domingo, provocando os torcedores adversários.

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, que determinou a prisão por sete anos e 14 dias de prisão em regime semiaberto de Roberto Jefferson, rejeitou pedido de defesa de Jefferson, feito no final do ano passado, para que o condenado cumprisse prisão domiciliar devido ao seu estado de saúde. Em 2012, o ex-parlamentar fez uma cirurgia para retirada de um tumor no pâncreas. Jefferson disse estar pronto para pagar sua pena.

"Deus só dá carga para quem aguenta. E eu que ando de Harley-Davidson e sou botafoguense, sei bem o que é passar por fortes emoções", afirma o ex-deputado federal.

O comerciante mineiro Afonso Dominguito de Castro doou R%24 100 ao ex-deputado e afirmou que o Brasil precisa de mais políticos como eleTiago Ramos / Agência O Dia

Neste domingo, Roberto Jefferson "aproveitou" últimos momentos de liberdade, passeando numa moto Harley-Davidson, vestindo jaqueta de couro e calça da grife. No mesmo dia, um comerciante apareceu na casa do ex-deputado para doar R$ 100. Ele se identificou como Afonso Dominguito de Castro e afirmou ter vindo de Cataguases, em Minas Gerais. A quantia seria para colaborar com a campanha de arrecadação de Roberto Jefferson para pagar a multa de R$ 720 mil imposta pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Entre os doadores estão também a filha Cristiane Brasil, secretária municipal de Envelhecimento e Qualidade de Vida do Rio, e o senador Fernando Collor (PTB-AL).

Ainda no domingo, Jefferson publicou um texto em seu blog, se despedindo dos leitores.
“Até que a Justiça determine o meu status de preso, isto é, o que posso e o que não posso fazer, a partir de hoje deixo vocês na companhia da minha equipe, que já trabalha comigo há anos e conhece meu sentimento em muitos assuntos, principalmente na Política. Mas, tenham certeza de uma coisa: sempre que possível e dentro dos limites da lei, me comunicarei com vocês. Até breve”, escreveu.

Roberto Jefferson deverá cumprir a condenação num presídio do Rio de Janeiro.

Últimas de Rio De Janeiro