Por paulo.gomes

Rio - Um triângulo amoroso terminou em tragédia no município de Itaboraí, na Região Metropolitana. O engenheiro Antônio Carlos de Almeida, de 55 anos, foi executado com três tiros e sete facadas quando deixava o condomínio Vivendas de Itaboraí. Os suspeitos, Amélia Moraes Rodrigues, 32, ex-mulher da vitima e o amante dela, Walter Kleber de Souza, 45, foram presos nesta segunda-feira pela Delegacia de Homicidios de Niteroi e Sao Gonçalo (DHNit/SG). A mulher foi capturada em Itaboraí e o acusado estava em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.

De acordo com os agentes da especializada, os três sabiam do envolvimento amoroso, no entanto, no domingo, Walter, que é sargento da Marinha, foi até a casa do engenheiro para ameaça-lo. Ele chegou a sacar uma arma, mas foi embora.

No entanto, na manhã desta segunda-feira, por volta das 6 horas, o suspeito e Amélia foram até o local e esperaram Antônio deixar o prédio a bordo de um Logan Branco. Ele foi rendido e executado com sete facadas e três tiros de pistola 380. Uma arma do mesmo calibre foi encontrada pelos investigadores da DhNit/SG na casa do sargento, mas somente um exame balístico vai comprovar se foi o mesmo armamento usado no crime.

"No depoimento, tanto Amélia quanto Walter ficaram acusando um ao outro pelo crime. Mas ambos foram presos em flagrante pelo crime de homicídio qualificado por motivo fútil e podem ficar até 30 anos na cadeia", explicou o delegado Wellington Vieira, titular da especializada. Ele ainda vai analisar as câmeras do condomínio, já que testemunhas contaram que viram a dupla pelas redondezas.

O carro da vitima foi usado para fugir e ainda não foi encontrado. A polícia ainda procura também um outro envolvido no crime.

Você pode gostar